25 de julho de 2017

Sopa de Letrinhas: Se eu ficar


Escolhi ler o livro Se eu Ficar no último mês já sabendo que se tratava de uma leitura rápida e bem dinâmica. Queria dar uma pausa entre minhas leituras densas de ultimamente (não estou postando pois está rolando muita literatura técnica novamente). Mas ao contrário do que pensei ... não seria tão tranquilo .. afinal esse livro é de rápida leitura mas é tão angustiante, tão trágico, tão deprimente .... no final das contas não serve pra intercalar com leituras densas não.

Eu já conhecia bem a história pois já tinha assistido o filme (soube que havia um livro apenas depois que assisti o filme) e tinha achado "interessantinho" o filme. Enfim ... um filme meio pegada "sessão da tarde" mas ainda assim ... pela temática ser próxima do meu dia-a-dia, achei minimamente interessante. Enfim, um tema que envolve um acidente, morte, quase-morte, luta pela vida, ações de uma equipe multiprofissional em uma uti ... obviamente que o tema já fez minhas anteninhas balançarem.

Escrito por Gayle Forman, o livro foi um sucesso. Virou best-seller e acabou virando filme. E teve continuidade. No Brasil também foi bem recebido pelos leitores e pelo público.

Mas pra mim a leitura foi diferente do que imaginei. Eu sempre acho a leitura muito melhor que o filme e desta vez ... não sei explicar minha sensação nessa comparação. Mas o fato é que eu tive golpes durante a leitura ... antes .. deixa eu explicar a história bem por cima (sem spoiler .. a tragédia que vou contar, já está anunciada logo de cara ok !) pra que vocês entendam do que estou falando: 

Mia Hall é uma típica adolescente americana, vivendo o sonho americano (pais legais, irmãozinho menor companheirinho, amigos legais, namorado dos sonhos, e prestes a ir pra faculdade dos sonhos também) ... enfim, como eu disse .. o "sonho americano". Mas esse sonho é interrompido logo no início do livro onde ela narra sobre o acidente que sofreu com sua família e onde seus pais morrem instantaneamente. Ela e o irmão são levados para o hospital e dali em diante, durante todo o livro, ela passará a vivenciar tudo de fora do corpo: acompanhar toda a dor, sofrimento, insegurança, desespero da família, etc e tal ... e claro, o medo de morrer, de perder o irmão, de ficar sozinha .. aquela sensação de desespero total pela possibilidade de ficar só no mundo.

A grande sacada da história, "Se eu ficar", refere-se a angústia que Mia sente ao tentar imaginar o que seria melhor: morrer ou continuar vivendo nesse mundo sem seus pais ? E ela descobre que talvez ela possa ter o poder de tomar essa decisão ... ficar ou morrer ? E é justamente por isso que o título do livro é "Se eu ficar". E durante todo o livro Mia vai narrando suas lembranças com sua família intercaladas pelos dramáticos momentos da vida real que está vivendo no momento e expressando suas dúvidas sobre como decidir entre ficar ou partir.

Mas então .. que tal o livro ? Como eu disse ... foi uma mescla de sensações. Em alguns momentos achei muito forte ... angustiante ... pior ainda que o filme. Aliás, o filme eu achei até brando perto do livro. Em alguns momentos me parecia uma narrativa fraca e excessivamente adolescente. Ok, era uma adolescente narrando mas ... talvez houvesse perfeição demais na narrativa, na vida dela, nas relações familiares ...  acho que faltou um pouco de conflito, de loucura, de histórias paralelas. Alternar apenas aquela viva perfeitinha e sonhos sendo realizados com a narrativa de perdas inimagináveis tornavam a leitura uma gangorra as vezes difícil de ser digerida. Isso deixa a gente meio zonzo ao longo da leitura. Ou seja ... como eu disse lá em cima ... pensei que seria um livro fácil de ler, de leitura límpida e rápida. Me enganei grandemente.  A leitura é fácil ... mas a angústia dela me embrulhou o estômago várias vezes, me angustiou e me deixou mal. Talvez porque ultimamente isso me angustie muito também.

Talvez você pense que por eu ser profissional da área hospitalar, habituada a conviver com a morte e o limiar da morte, a dor e o sofrimento ... essa história seria uma fichinha. Mas não é. Essa história nos mostra aquilo que tentamos não ver no nosso dia-a-dia. Aquilo que vemos muito pouco, por um véu muito tênue. Porque se pudéssemos ter essa dimensão toda a cada caso de morte que nos deparamos, seria enlouquecedor. Quem suportaria tanta dor ? E outro ponto é que exatamente porque sabemos o quanto a morte é as vezes "fácil" nos torna mais sensíveis ao imaginá-las tão próximas da gente. Achei que a temática mexeu mesmo comigo. Ou eu que estava muito sensível no momento da leitura. Não sei explicar.

Se eu recomendo ? Não me arrependi da leitura mas não leria novamente. Não quero voluntariamente passar novamente por esta angústia. Mas leria sim a continuação (sim, ela existe !). E acho que essa leitura é no mínimo interessante pra pensarmos sobre a vida, refletirmos sobre a dádiva que temos em termos nossos familiares e nossa vida vida tão perfeita, e as vezes reclamamos tanto por tantas pequenas bobagens do dia-a-dia. Mas de qualquer forma não deixa de ser uma leitura bem adolescente. De vocabulário restrito, textos limitados, alguns trechos previsíveis. Não entendi bem porque virou um best-seller pra falar a verdade. Então .. é isso ... faça sua escolha.

Que livro ? Se eu ficar
 
Quem escreveu ? Gayle Forman
 
De que ano é? 2009 - 2014 pela Nova Conceito

E a editora ? Novo Conceito
  
Qual o assunto do livro ? Retrata o drama vivido por Mia, uma jovem que sofre um grave acidente logo no inicio do livro e perde parte de sua família neste acidente. Ela se vê entre a vida e a morte numa uti, sua alma vaga pelo hospital e acompanha tudo que acontece com seu corpo, todo o drama dos familiares, e nesse meio tempo ela vai apresentando um vai-e-vem de flashes de lembranças do seu passado perfeito, dos dias com sua família e namorado, do seu envolvimento com a música ... e o drama atual. Mia tem uma difícil decisão a fazer: ficar viva no mundo ou morrer ? Esse é o grande questionamento que ela procura responder pra si mesma ao longo do livro. 

E que tal a linguagem e a leitura  ? A linguagem é fácil, escrita fácil, o texto apresenta um vai e vem no tempo entre passado e presente. A narrativa é bem adolescente com um mundinho bem perfeito em volta da jovem. E em outros momentos é bem angustiante e tenso. Isso é natural pois como o livro faz um vai-e-vem no tempo, acaba fazendo um vai-e-vem no estado emocional da Mia, personagem principal. Gera um certo conflito pro leitor também na leitura.
 
Recomenda ?  É muito raro isso acontecer, mas nesse caso eu particularmente gostei mais do filme do que do livro. Acho que tem leituras mais interessantes. Não é terrível mas ... tem melhores. De alguma forma esse livro me incomodou. Como eu disse no texto anterior, acredito que me sensibilizou muito e eu não consegui digerir bem o assunto. Apesar que como eu disse, talvez leia a continuação. Talvez. Difícil avaliar. 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...