29 de setembro de 2016

Paraguai 22: Onde comprar Lembrancinhas de Chá de Bebê, Formatura, Casamento

No Paraguai é possível encontrar itens para festinhas mas nunca vi nenhum setor numa grande diversidade mesmo. Geralmente são nos mercadões que encontramos mais opções. Já lembrancinhas eu raramente vejo por lá.

Mas na minha última ida ao Super K encontrei um canto da loja recheado de itens decorativos e também lembrancinhas para serem usados em chá de bebê,  festa de casamento, festa de formatura e outros. Achei bacana que a diversidade é grande e os preços camaradas. E próximo deste setor tem também vários itens para uso em festividades, tipo balões, pratinhos ,coisas assim. 

A maior parte dos itens que fotografei são lembrancinhas pra bebês que era o que realmente tinha mais diversidade. Mas a loja dispunha também de alguns artigos pra festas de formatura, casamento ou mesmo sem um tema específico, temas fofos em geral que você também poderia usar pra temas diversos. Mas a maior parte era temático.



Esse conjuntinho acima vem com 6 vasinhos, ou rosa ou azul. Custa $ 2,79 cada kit. Pessoal, prestem atenção que os preços são todos em dólares.



Esse conjuntinho acima serve pra decoração da festa do chá de bebê e dá pra aproveitar pra decorar o quartinho depois. No quarto você pode usar como calendário mesmo ou ainda deixar marcada a data do nascimento do bebê. 

Tem vários itens pequenos pra decorar. Esses grampinhos são bacanas pra ser usados pro convite pro chá, pra anexar em algo seja na lembrancinha da festinha ou pra lembrancinha pros que visitam o bebê.



Dessas miudezas tem vários artigos, inclusive alguns fofinhos sem destino certo pra alguma festividade específica. 

E olha que gracinha essas mamadeiras pra encher de chocolatinhos, gominhos, balinhas, etc.


Ou tem a opção de cestinhos com enfeites variados com tema de bebê.


Muitas fofuras. E os preços bem simpáticos.



Mas como eu disse, tem artigos pra outros tipos de comemorações também, como formatura e casamento.










Esses kits são tipo aquele primeiro que mostrei dos bebês, vem todos com 6 vasinhos cada. Enfim, como podem ver, de modo geral são miudezas simples mas que com certeza vão dar um toque bem especial na sua decor ou lembrancinha.

Quanta coisa né ? E ainda falando no quesito babies, pra quem já está com filhote nos braços ou precisa comprar um presente, tem muitas opções de roupas pra bebês e crianças por lá. Encontrei também esses kits bacanas para presente. 



Legal né ? 

Achei a dica boa pra compartilhar visto que eu nunca tinha visto essas lembrancinhas (pelo menos nessa variedade) lá pelo Paraguai. Lembrando que o Super K fica do lado esquerdo do Paraguai, perto do Shopping Box. Já falei várias vezes da loja aqui no blog. Cuidem que a entrada do Super K é meio escondidinha, mas quando você olha pra escada da entrada, se prestar atenção, logo enxerga o nome do shops:



Super K





E era isso gente, até a próxima !
Beijocas.



26 de setembro de 2016

Sopa de Letrinhas: Sobre Homens e Lagostas

Mais uma aventura no desconhecido: comprei o livro Sobre Homens e Lagostas, escrito pela Elizabeth Gilbert. Foi o primeiro romance dela e foi escrito lá pelas bandas de 2000 com o título original "Stern Men".
Essa capa foi pra mim irresistível ... aliado a esse nome intrigante, me rendi ao apelo promocional que se encontrava o livro. Arrematei numa dessas super promoções virtuais. 


Eu não sabia nada sobre o livro. Comprei no escuro, familiarizada com apenas um detalhe na capa do livro - um pequeno círculo no canto que indicava ser  da mesma autora do livro "Comer, Rezar, Amar". Aliás, livro este que eu também nunca havia lido .. nem mesmo visto o famoso filme ... mas sabendo que a autora fizera sucesso com a obra, resolvi arriscar no livro-irmãozinho desconhecido (até então para mim pelo menos).




Em Portugal ele foi lançado como Filha do Mar e pode ser encontrado em livrarias brasileiras também. Então cuidado na compra ! A história é a mesma; já a língua, embora similar, não é o nosso português brasileirinho.


Mas vamos aos fatos: começo já alertando que minha compra foi acertadíssima. Inesperada e maravilhosamente acertada. Se eu lesse a sinopse do livro, eu com certeza não teria despertado para a história ... nada de especial pra chamar muito minha atenção: 

"Em Sobre homens e lagostas, romance de estreia de Elizabeth Gilbert, a autora do best-seller de explora o universo das comunidades que se beneficiam da pesca lagosteira no litoral do Maine, nos Estados Unidos. Os habitantes das ilhas de Fort Niles e Courne Haven são inimigas há décadas, e os lagosteiros locais sempre estiveram em pé de guerra. É nesse mundo que habita Ruth Thomas, a jovem heroína deste livro, que poderia ter escolhido uma vida de luxo e privilégios por ser herdeira da rica família da mãe. Mas é o mundo bruto do pai e dos pescadores onde ela cresceu e escolheu viver. Principalmente depois de conhecer Owney Wishnell, jovem aspirante a pescador, de personalidade reservada e porte atlético, e um dos maiores inimigos de seu pai. "

Aliás, essa é a uma sinopse simples que vi em algumas livrarias. Outras elaboram melhor a história, e falam, falam, falam ... contam coisas que acontecem lá no final do livro ! Por isso eu odeio ler sinopses !! Eu não leio nem mesmo as orelhas ou contra-capas quando meu faro pra o livro é bom. Quero ir para a história com o mínimo conhecimento possível sobre o desenrolar dela. 

Mas pra minha surpresa o livro é incrível. Não é um livro com histórias mirabolantes para serem contadas ... mas a leitura é tão agradável que nos traga imediatamente pra essência daquelas ilhas, pro entendimento da alma daqueles moradores, nos faz submergir no coração cheia de dúvidas da personagem principal, Ruth.


Eu particularmente me identifiquei muito com Ruth - cheia de angústias, desamparo, incertezas sobre o próprio futuro. Ruth sabe o que quer mas ao mesmo tempo está totalmente perdida. Aliás, acho que ela não tem nada da heroína anunciada na sinopse das livrarias. Ela parece tão frágil e sem futuro.

O livro narra dias comuns de uma moça moradora de uma ilha povoada por pescadores de lagostas. O dia-a-dia é trivial, no entanto há um encantamento em toda a cena, tudo é muito pitoresco. Me senti sugada pela história. Não gosto de histórias arrastadas mas é bom saber que a narrativa do livro é lenta - mas ainda assim é envolvente, o que não me deixou entediada em nenhum momento.

Na história, Ruth está cheia de conflitos - ela poderia sumir daquela ilha onde todos os dias são iguais, com uma população tão pequena, sem possibilidades de crescimento profissional exceto pescar lagostas ou ser mulher de um pescador de lagostas. Mas não é sumir dali que ela quer ... Ruth se sente atraída ao local, se sente ligada à ilha e quer ali permanecer. Mas não consegue se imaginar entrando naquela roda viva de ajudar na pesca de lagostas e prosseguir com o dia-a-dia de guerra por territórios de pesca que é travado entre os pescadores.



O livro tem uma essência pura mas é carregada de fortes personagens. Não porque tenham força na personalidade mas pela peculiaridade das suas trajetórias. A própria Ruth não teve uma vida comum ... foi abandonada criança pela mãe, é herdeira de uma rica família mas vive parte da vida de favores na casa de uma vizinha .. e quando em casa, é frequentemente ignorada pelo próprio pai. A vizinha que ajuda Ruth, dona Pommeroy, é uma dona de casa comum mas tem também características muito interessantes. Rodeada de filhos barulhentos, ela é fantástica para Ruth, o que me faz gostar muito dela.

Fiquei bastante surpresa quando li resenhas criticando muito o livro. Muita gente não gostou. Alguns odiaram. E eu ? Fiquei absorta na leitura logo nas primeiras páginas ... concordo que o início, quando relata a história da inimizade entre as duas ilhas, é meio enfadonho ... mas logo percebemos que aquela história é pano de fundo pra toda estrutura de vida que cursa nas ilhas. É importante pra entender o por que dos personagens serem como são. E eu adorei a sacada de iniciar capítulos com pequenos trechos descrevendo sobre o comportamento das lagostas e particularidades técnicas sobre a pesca delas. É apenas uma brincadeira oras ! Mas teve quem não gostou. Eu amei !!! 

Ahh e além da história ter me prendido, o mais interessante é que a história ruma pra acontecimentos surpreendentes. Fui pega totalmente de surpresa. Li com muito prazer e já me encantei com a escritora. Acho aliás que esse livro merece também virar um filme ... não vi o outro inspirado no best-seller dela, mas lendo este livro consigo imaginar todas as cenas transformadas num longa maravilhoso. 

Não há muito mais o que falar. Não quero cometer o erro de falar demais. Leiam e deliciem-se. A monotonia dessa ilha vai te envolver e você se pegará devorando as páginas antes que se dê conta ... fica fácil entender porque Ruth tem tanta dificuldade em deixar aquele lugar.

E era isso, fico por aqui e até a próxima. E pra quem curte o Resumão do Livro, cá está ele:


Que livro ? Sobre homens e lagostas
 
Quem escreveu ? Elizabeth Gilbert
 
De que ano é? 2000

E a editora ? Alfaguara
  
Qual o assunto do livro ? Conta a história de Ruth, uma moça cercada pela simplicidade da vida numa pequena ilha repleta de pescadores de lagosta. Ruth se vê numa encruzilhada, tendo que definir sobre seu futuro. Enquanto isso passa seus dias se arrastando pela ilha na companhia de figuras pitorescas que lá moram . 

E que tal a linguagem e a leitura  ? De fácil leitura, tende a ser mais lentificada, com com uma narrativa compassada e sem grandes turbulências. Os capítulos são de medianos a longos, mas com sub-capítulos,  o que facilita a leitura. A narrativa é lenta, mas há um tom ameno mas ao mesmo tempo descontraído. Eu achei a leitura gostosaO livro ruma pra um desfecho bem inesperado e talvez a rápida mudança final no compasso choque alguns leitores desavisados. Pra mim particularmente não foi um problema.

Mais pra dinâmico ou cansativo ?  Não é cansativo, mas não é dinâmico, pelo contrário ... a vida pacata dos moradores acaba impregnando a leitura. Mas se o dia-a-dia dos personagens é arrastado, suas histórias de vida são tão peculiares que pra mim toda a narrativa foi interessante. A parte um pouco mais maçante é o início do livro, mas ainda assim eu acabei me envolvendo nele rapidamente.  

Recomenda ?  Com certeza. Amei. Mas leia sem grandes expectativas. Prepare-se para uma leitura sem grandes pretensões, mas ao mesmo tempo agradável e cheia de particularidades em cada personagem. De preferência não leia o sumário e nem o "copia e cola" de resenhas que vi por aí: muita gente repetiu o jargão de que a personagem é uma coisa que está longe da realidade da sua postura ao longo do livro, o que irritou alguns leitores.  Se jogue no escuro e terá grandes surpresas. 

23 de setembro de 2016

Um passeio que os Iguaçuenses amam: Feirinha da JK

Hoje eu tenho uma dica especial para os turistas que curtem extrapolar o eixo turístico e conhecer mais da programação local da cidade. Então conto pra vocês um pouco mais de uma Feira que rola todas as manhãs de domingo numa das avenidas mais movimentadas da cidade, a Juscelino Kubitschek.


Para o iguaçuense a cena já incorporou ao retrato de uma gostosa manhã de domingo: aproveitar o sol pra visitar as barracas que se enfileiram cheias de cores, texturas e cheiros oferecendo artesanato, decoração, brinquedos, roupas, acessórios e claro: comidas ! Não poderia faltar o pastel de feira mas há também várias outras opções de guloseimas.

Outra coisa bacana é que dá pra aproveitar e já fazer a feira: tem inclusive barraca vendendo verduras e legumes fresquinhos. E flores e plantas também ! Tem artista, tem moda de viola, tem por vezes atividades como yoga, teatrinho ou contação de histórias. Cada domingo é uma nova oportunidade de uma manhã agradável em família ou mesmo para um passeio solitário e descontraído.

Uma vantagem pra quem é turista ao fazer uma programação como esta  é fugir dos preços assustadores do eixo turístico. Aqui você encontra produtos com preços e camaradas, tanto nas barraquinhas de comidas como nas de produtos artesanais e gerais que vendem por lá.

A visitação a feira é livre. As barraquinhas ficam na Avenida JK até próximo do meio-dia (não chegue perto desta hora, pois rapidamente todos começam a desmontar suas barracas ... antes da 1 vai-se toda a cor que impregnava a avenida). E a coisa é pontual pois a avenida tem que ser novamente entregue para o trânsito, que fica em parte interrompido neste trecho da cidade. Atente-se também a previsão do tempo: em caso de chuva, não rola Feira !

Vamos conferir um pouco do que rola por lá ?





















Mais recentemente também começou a acontecer a Feira do Bosque Guarani, que é pra ser no mesmo formato da Feira da Jk, mas acontece próximo do Terminal de ônibus do centro e Bosque Guarani. Essa feira está rolando as sextas a noite. Como eu ainda não visitei ela, deixo pra contar sobre em outra oportunidade. Combinado ?

Então é isso pessoal, tá aí a dica ... pra quem e´de Foz, pra quem é de fora ... todo domingo, é dia de ir pra Feirinha da JK ! 

Até a próxima ! Beijocas.


21 de setembro de 2016

Livros para Ler ou para Colecionar ?

 O Almanaque Anos 80 me deu respostas

Quem aqui também tem aquela mania de colecionar livros ? Eu tenho esse hábito de comprar livros por impulso ... muitas vezes motivada por uma capa bonita, um nome interessante, uma edição especial ... e não é raro eu acabar adquirindo um livro única e exclusivamente pelo prazer de tê-lo na prateleira. Mas será que isso isto, de livros pra colecionar ?


Pra mim acontece em especial com aqueles livros com reedições especiais, onde muitas vezes já li o livro ou mesmo até já tenho ele. Ou então com livros que inspiraram filmes. Adoro comprar esses livros, mesmo que não tenha intenção de lê-los tão proximamente. 

Ao longo dos últimos tempos comprei alguns livros que eu encaixaria perfeitamente neste quesito: livros para colecionar. Dentre eles em especial alguns álbuns especiais, super ilustrados. Nem comprei todos os que queria ainda aliás. Mas um especial, que não poderia deixar de comprar, foi o Almanaque Anos 80.


Quem conhece esse livro ? Se você viveu nesta época e já deu de cara com este livro ou até tem ele na estante ... você PRECISA ler este livro. Sério mesmo ... eu fiquei muito entusiasmada de ler ele, pois achei que era só um livro bonitinho de fotos de época ... mas que nada ! Foi um revival completo ! Me fez mergulhar novamente nos anos 80 ... relembrar tantas coisas que ficaram perdidas na minha memória, sobre as quais muitas delas não pensava ou não lembrava há muitos anos.

Estou tão encantada com o livro que inclusive quero agora ler os outros álbuns que comprei também. O da Jovem Guarda é dos próximos, mesmo não sendo da minha época. Descobri que esses livros são muito mais do que livros decorativos ou colecionáveis ... são ricos de toda uma vivência de uma era, uma Delícia de ler !!!

E vocês, que livros vocês compram e se dão conta que é pura mania de colecionar ? Já se surpreenderam ao ler algum deles e descobrir que eram muito mais do que um item bonito pra prateleira ? Contem !

E não deixem de assistir também ao vídeo no youtube falando do assunto:




E até a próxima. Beijocas !

13 de setembro de 2016

O que aprendi 13 anos depois da formatura ?

Hoje é meu aniversário de formatura: fazem exatos 13 anos que saí da faculdade.... inacreditável como o tempo passa como um breve respiro, quando você se dá conta, ele se foi ... anos bons e bens vividos .... mas onde eles foram parar ? Eu nem sei bem. O tempo simplesmente passou ... e passará pra você também, acredite ! 




E muita coisa a gente aprende com o tempo ... a vida inteira é um eterno aprendizado. O tempo cura males e feridas, sofrimento, mágoas, desilusão, desesperança ... e ele cria muitos outros problemas também. O tempo é tão impalpável como todos os sentimentos que inundam seu coração.  É muito fácil falar só das coisas boas ... poderia ter uma lista imensa pra contar aqui sobre isso. Mas vou além: se atenta nas dicas e presta bastante atenção nos percalços. Pois eles fazem parte da vida mas pouca gente fala sobre isso.

Então senta e anota as lições que tomei com esses 13 anos de formatura:

  • A vida profissional está anos-luz de distância da realidade da vida acadêmica. Isso inclui sua visão idealizada quando ainda é um acadêmico apaixonado. A profissão é exatamente como um relacionamento, aquele namoro eufórico e aventureiro que vira depois um longo casamento que periga cair na rotina ... toda aquela euforia da paixão um dia dará lugar a um dia-a-dia cheio de atribulações, responsabilidades, problemas a enfrentar, desafios e obstáculos pertinentes ao próprio nicho profissional. Ok, o amor estará lá ... mas ele é o que te sustentará ainda nessa relação. O dia-a-dia será uma luta, uma construção permanente, pra que você drible todas as adversidades da profissão.  Quer estar preparado pra isso ? Esqueça a opinião dos acadêmicos do final do curso, das palestras nas Feiras de Profissões, dos guias de estudante e principalmente dos seus professores. Ouça quem está na estrada ! Ouça os profissionais que atuam efetivamente na profissão, no mercado de trabalho extra-muros da faculdade. Eles te darão um bom panorama sobre o que esperar. 
 
  • Não coloque sua vida acadêmica-profissional num pedestal. Quando você entra na faculdade, seu curso é sua vida, e você vive dele, pra ele, por ele. Alguns anos mais tarde você vai descobrir que isso é só 1/3 do seu dia. Mais da metade do seu dia será em outro contexto. Seja feliz nele também !
 
  •  Mas lembre-se que as melhores oportunidades de experimentação da sua vida podem surgir na época da faculdade. Extrapole ! Ouse ! Faça mais ! Explore outras vivências. 

  •  Cultive uma boa relação com seus professores. Muitos anos depois eles ainda estarão lá e será muito bom que eles lembrem de você. E você vai descobrir que excelente rede de contatos eles podem ser.
 

  • Se dedique desde o início. Os melhores profissionais que eu conheço são os que tem os melhores conhecimentos sobre as bases acadêmicas da nossa área. 
 
  • Dê utilidade ao seu aprendizado. Em pouco tempo você vai esquecer quase tudo que aprendeu. Esquecer mesmo ! Quando precisar relembrar, será fácil para todas as coisas para as quais você realmente se dedicou. Mas na resposta reflexa estará presente apenas aquilo que você usar no seu cotidiano. Se não for dar uso pra esse conhecimento, sua única chance de mantê-lo vivo é seguir estudando. Estude e Aplique. Estude e Aplique. Estude e Aplique. Dia após dia.

  • Esqueça as estrelinhas do tempo de colégio e as boas notas da faculdade. Você vai descobrir que o reconhecimento profissional após a faculdade é muito mais difícil de ser conquistado e aparecerá sutilmente na sua vida de tempos em tempos. A vida profissional não é uma sala de troféus ou um boletim azulado. A vida profissional exige muito mais do que um intensivão de estudos na pré prova pra você se dar bem. 
 
  • Pare de choramingar de saudades da época do colégio quando estiver na faculdade e achar tudo muito difícil. Acredite: o tempo de faculdade ainda é um mar de rosas e ainda é uma extensão do nosso playground dos tempos de infância. Quando tiver um canudo na mão, aí sim vai descobrir o peso das responsabilidades e compromissos. 
 
  • A faculdade não é precisamente a melhor época da sua vida. Nem precisa ser. A melhor época da sua vida é aquela que você escolher que seja ou que a vida escolher pra você. Tudo que esperavam que eu vivesse de maravilhoso na faculdade, eu vivi depois dela, na residência. Vida Louca ! Sim, é possível em qualquer tempo ... basta você encontrar as pessoas certas, no tempo certo, no lugar certo. E esse endereço pode estar em vários lugares. E em várias épocas diferentes da sua vida. 

  • Todos os seus dramas da época serão insignificantes 10 anos depois. Talvez até mesmo muito antes que isso. Então menos drama ! 

  • Não faça tanta pompa nem se agarre tanto ao fato da sua excelente faculdade. Ok, você pode seguir sentindo orgulho dela até o fim da vida, porque é natural que desenvolva um apego e um sentimento de segunda casa. Mas um dia você vai descobrir que estudar naquela universidade bam-bam-bam só tem importância mesmo enquanto você está na faculdade. São bem poucos os cursos que dão valor pra faculdade de origem na hora da contratação. Na vida profissional, não importa se você veio de uma faculdade mequetrefe ou da melhor do país ... o que vai fazer a diferença é única e exclusivamente o seu desempenho profissional. É o aqui e agora ! 
 


  • Como eu disse antes, sua profissão vai ocupar cerca de 1/3 do seu dia. Talvez mais, talvez menos. Seja como for, sua vida não será só isso. No entanto, ela vai ocupar o seu tempo de ouro, o "corpo do seu dia", pode definir seu humor do dia ou mesmo mudá-lo totalmente. Vai te dar colegas de trabalho que, ao contrário dos tempos de faculdade onde você escolhia seus amigos, serão definidos pela empresa contratante e não por você.  Então ... tenha seus hobbies, viva outras coisas, saiba que a vida não é só a profissão como eu disse antes ... mas saiba que pra levar de boa essas 6, 8, 10 horas de trabalho de boa .. .dia após dia ... você precisa realmente amar seu trabalho. Esqueça a paixonite adolescente de início de curso. Estou falando do amor maduro, aquele que vem acompanhado de tempo ruim, de adversidades, de problemas a serem resolvidos, de desgaste físico e emocional, de clientes reclamando, de cobranças de chefias ... e mesmo assim, é o que motiva, é o que faz você realmente sentir que está no lugar certo, fazendo o que tem que ser feito, fazendo diferença na vida das pessoas, dando vida aos projetos, dando seu toque na empresa. Se aquele amor não estiver lá no fundinho, ainda que latente .. se não houver um bom tom na identificação profissional ... se não houver verdadeiro entrosamento ... não tem meios de você suportar uma vida inteira disso. Então meu caro, lembre-se do meu principal conselho: esqueça os outros. Quem estará lá vivendo o dia-a-dia neste trabalho é VOCÊ ! Então tome a melhor decisão que você julgar pra sua vida. Insista e persista, lembre-se que realmente a vida adulta é muito mais difícil mesmo. Então seja realista, que a vida não é cor-de-rosa. Mas .. se você realmente se der conta que foi uma furada,tenha a certeza: Sempre é tempo de mudar. Tem inúmeras histórias assim. A maior balela que inventaram foi que você tem que definir seu futuro aos 20 anos de idade. Isso é mentira. A maioria das pessoas acredita nisso porque ninguém te conta que é possível pular fora a qualquer momento. Só que isso é pra poucos. É pra quem tem coragem. E essa decisão, ninguém pode fazer por você. 


E essa é um pouco da verdade nua e crua. Nada de nuvens e ursinhos carinhosos ... o post foi também pra falar da vida dura pós faculdade, do lado obscuro, daquele que ninguém fala. Mas todo mundo passa por isso, acredita: descobre que nada mais será como antes. Então, aproveite enquanto pode !!!

Finalizo com essa imagem que acho encantadora. Um brinde com essas maravilhosas amigas. E o nosso Adeus.



Espero que tenham curtido o post de hoje. Beijocas e até a próxima.

6 de setembro de 2016

Últimas comprinhas de Livros

Olá ! Hoje publiquei no youtube um novo vídeo mostrando minhas últimas comprinhas de livros (a maior parte é dos últimos 2 meses) e resolvi compartilhar aqui no blog também. Então se você ainda não é inscrito lá no youtube, não deixe de se inscrever, assim você não perde mais os novos vídeos e fica sempre sabendo tudinho que rola por lá também !

Tem vários livros na minha lista recente de compras: teve livro de fotografia, de contos, de guerra, de terror e outros mais ! Confiram tudinho lá:




Beijocas !

3 de setembro de 2016

Sopa de Letrinhas: Caixa de Pássaros / "Não abra os olhos"

Após tantos anos de leitura, eis que me dou conta que nunca havia lido um livro de terror. Na verdade está aí algo que nunca me atraíra no passado nem na televisão. Eu era tão traumatizada com o filme Exorcista, que assisti na infância ainda .. que por anos e anos fugi do gênero. Mas há alguns anos, por motivos inexplicáveis, passei a curtir e muito as histórias de terror do cinema. Tudo começou com Jogos Mortais, e aí veio Samara, O Chamado .. e meu apreço só foi crescendo. E agora enfim me rendi ao gênero literário do terror: minha primeira leitura na área !


Caixa de Pássaros, escrito por Josh Malerman, conta a história de Malorie, uma mulher em busca da sobrevivência, vivendo num mundo onde o medo da morte paira em todo lugar.  O mundo foi tomado por uma estranha epidemia, que traz morte, aparentemente por suicídio, para todos aqueles que são expostos. A sua trajetória se inicia, acompanhada de 2 crianças, numa fuga em busca de segurança.

Quando a história se inicia, já fazem 4 anos que Malorie vive nesse novo mundo de medo e mortes. No início do livro o suspense é caótico, pois é difícil entender do que ela foge exatamente. A cada capítulo a história vai oscilar entre o início da epidemia e o tempo atual de fuga de Malorie e as crianças. Em um capítulo você está mergulhado numa história onde Malorie é uma jovem comum, com uma gravidez recém descoberta, ainda tentando traçar um futuro na vida. No próximo capítulo você se depara com uma mulher amedrontada, mas calejada pelos anos de medo e privações, que se defende do incerto da maneira que pode, tentando proteger a si própria e a 2 crianças.  E assim os capítulos prosseguem, num vai-e-vem constante, entre o passado e o presente, com uma diferença de 4 longos anos de medo da morte possivelmente eminente.

O suspense é uma constante. As mortes se iniciam de maneira inexplicável e assim permanecem no decorrer dos anos. As pessoas morrem pelo simples fato de entrarem em contato visual com o mundo exterior. Elas parecem enlouquecer e cometem atos terríveis, que invariavelmente culminam com mortes horríveis. As pessoas passam a ser prisioneiras das suas próprias casas .. mas como viver isolado dentro de uma casa, sem poder olhar pelas janelas, sem poder ter contato com o externo, e ainda assim continuar tendo acesso a comida, água, medicamentos, etc ? O tempo é cruel e cada dia é mais um dia mergulhado na incerteza, dentro de uma casa cujas janelas cobertas por mantas e cortinas são a mais potente arma que se tem contra a morte. Olhar para fora, é o suficiente para morrer de maneira dramática e inexplicável. Ninguém entende o que acontece .. o que está matando ? Como ? No decorrer do livro o suspense paira, há aquela expectativa constante pelo próximo acontecimento e a mente do leitor fervilha na busca de uma explicação pra tudo isso.


A divisão entre os tempos passado e presente, com um vai-e-vem constante, é bem marcada e inicia e fecha direitinho a cada capítulo. A construção da história e conexão entre os tempos nos dá um forte senso de organização, e não permite confusão. Pelo contrário: a marcação entre os tempos é tão forte, e a diferença do que ela vive em cada um deles também, que logo que você parte para o próximo capítulo é fácil logo imergir novamente na história daquele período.  Essa clareza nem sempre é fácil de ser conseguida nos livros que usam desse artifício de misturar as épocas dentro da construção da história.

 Quando você se depara com Malorie tentando salvar a si própria e as crianças, você se depara com uma mulher tão fria, tão mecânica, que é assustador ficar imaginando que tipo de relação ela tem com a menina e o menino. É assustador pensar que sequer nomes as crianças tem, e Malorie nem parece se importar com isso.

A maneira como Malorie conduz a criação das crianças foi algo que dividiu opinião entre os leitores. E realmente, é aterrorizador pensar numa criança crescendo assim. Mas é preciso ir lendo e se desesperando com as mortes, para entender tudo que ela faz. Para entender como tudo isso conduz para um caminho no futuro. As histórias se entrelaçam, de tal forma, que tudo enfim, parece fazer algum sentido. Ou quase tudo.

Eu devorei o livro. A todo momento tentando entender os pequenos detalhes da narrativa, a todo momento tentando imaginar o que afinal matava as pessoas,  a expectativa constante para saber o destino dos outros personagens (sim, há outros .. não comentei, mas Malorie ao longo da história não está sozinha na casa onde luta contra o obscuro) e acima de tudo pra saber sobre como eles vão lidar com essa ameaça. Mistério e suspense constante.
Gostei muito da leitura. Achei que um livro não seria capaz de me prender tanto quanto um filme, mas descobri agora um novo gênero literário pra incluir nas minhas leituras.  E se você ainda não se aventurou neste gênero, esse livro é uma ótima pedida pois ele é tão instigante que te fazer devorar as páginas em busca de respostas.



  RESUMÃO
Que livro ? Caixa de Pássaros, Não abra os olhos
Quem escreveu ? Josh Malerman

E a editora ? Intrínseca

E sobre o que é ? Recheado de suspense, traz a história de um grupo de pessoas que tenta sobreviver ao caos após iniciar-se uma epidemia inexplicável que faz com que mortes misteriosas ocorram no mundo inteiro. Algo faz com que as pessoas simplesmente se matem de uma hora para outra. Sem explicação, sem motivação. As mortes são muitas vezes cruéis e aterrorizantes. E no meio disso tudo uma mulher, Malorie, tenta achar uma escapatória em busca de segurança para ela e suas duas crianças.  

E a linguagem ? Fácil e acessível, com capítulos que se intercalam entre um vai-e-vem constante entre os anos : o inicio da epidemia, 4 anos atrás; e o tempo atual, onde Malorie e as crianças andam pelo desconhecido procurando por salvação ... ou pelo menos um pouco mais de segurança.

Recomenda ? Super ! Se você curte livros de suspense e terror, é uma ótima pedida. Se como eu, até gosta, mas nunca se aventurou no gênero, é uma excelente dica pra começar a explorar esse tipo de leitura. Isso porque o livro captou tão bem e rapidamente minha atenção, que li com avidez e muita curiosidade, mostrando que vale a pena a leitura.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...