18 de novembro de 2016

Sopa de Letrinhas: Tudo ou Nada (Luiz Eduardo Soares)

Hoje temos novamente post literário, com mais uma resenha de um livro comprado no impulso: comprei o livro Tudo ou Nada há cerca de 2 meses numa daquelas bancadas de mega promoção na Encopel. O livro é de autoria de Luiz Eduardo Soares, aquele mesmo que escreveu Elite da Tropa (o livro que inspirou o filme). 

Essa foi uma daquelas compras feitas em cima da capa e do preço. A capa me convenceu por esta chamada: "A história do brasileiro preso em Londres por associação ao tráfico de duas toneladas de cocaína". E pra completar paguei míseros R$ 5,90 pelo livro. Acho que fiquei esperando algo no estilo "Meu nome não é Johnny" e por isso a empolgação .. que decepção sem tamanho. 

Pensa num livro ruim ... amplifica .... mais .... mais ... maiiiiiis. Pronto, agora multiplica por 10 ... te garanto, ainda não é suficiente ... eu só não larguei no meio pra poder resenhar, mas a vontade era nem terminar de ler. Realmente muito fraco ... não apenas pela história em si como muito também pela personalidade fraca do personagem principal.




ATENÇÃO - RESENHA COM SPOILERS

O livro conta a história de Lukas, personagem inspirado em Roland Soares, que foi preso por associação ao tráfico internacional de entorpecentes. Engloba vários aspectos da vida de Lukas, desde a juventude, suas aventuras vivendo velejando mundo afora, a inserção no tráfico, a vida sem regras, o esquema do tráfico internacional, sua prisão num presídio de segurança máxima na Inglaterra, sua luta para ser extraditado para o Brasil e um pouco do desenrrolar após.

A maior parte do livro é difícil de digerir. Lukas tenta convencer o leitor sobre o seu valor mas só se envereda mais pela lama do crime ao tentar se justificar ... mostra que lhe falta discernimento e caráter. Lukas pensar ser um jovem hippie mas nada mais é do que um adolescente tardio irresponsável que nunca quis assumir um trabalho de verdade na vida. Quer nos fazer crer que traficava não por dinheiro, como se viver num barco de praia em praia não fosse um estilo de vida que necessita de grana para ser mantido. Portanto no final das contas, é tudo pelo dinheiro ... nem que seja pra simplesmente usá-lo pra ficar só cheirado na beira da praia acompanhado dos outros amigos ripongas.  O pior de tudo é que mesmo depois de anos nota-se que o cara segue firme achando que ele não era um mero traficante que não quis assumir uma responsabilidade decente na vida e trilhar o caminho do bem ... acha que era apenas um jovenzinho cheio de ideais hippies e inocentes, achando que ficar chapado num barco é maneiro e não é preciso ser útil pra sociedade .. .e que traficar com o objetivo de simplesmente curtir a vida é mais decente do que usar o dinheiro para comprar coisas caras. Não fico espantada por um adolescente pensar isso ... me espanta uma pessoa já madura seguir com essa convicção. Ou ele precisa muito acreditar nisso pra sentir-se melhor, poder usar da desculpa de que foi injustiçado já que ele "nem era tão bandido assim".

Aliás, é nauseante a insistência do personagem em tentar nos convencer de que ele "nem é tão criminoso assim". Inúmeras vezes ele tenta transferir a responsabilidade do tráfico para o usuário final, e afirma veementemente que o que ele fazia era apenas comércio de uma substância que era desejada por alguém. A culpa é alguém a desejar. Ele apenas estava fazendo o favor para a humanidade de fazer a tal substância (no caso os entorpecentes) chegarem nos consumidores finais. Anos depois, ele é preso, ele sai da prisão .. espera-se que ele aprenda alguma coisa com a vida .. mas ele segue achando que foi injustiçado, que tem pessoas que cometem crimes muito piores e parece esperar que a gente passe a mão na cabeça dele e suspire "óhh coitadinho", perdeu anos da vida na prisão só por causa disso ?". Afinal, o que são algumas toneladas de coca, não é mesmo ? 



A verdade é que não é que pessoas como Lukas só existem pra poder sanar o problema de pessoas que precisam consumir sua droga diária .. a verdade é que a podridão envolvida no tráfico só existe por conta de pessoas podres como o próprio Lukas. E vamos combinar ... sou uma pessoa altamente tolerante em relação a vários aspectos relativos as drogas ... mas ninguém vai me convencer que um traficante não é um CRIMINOSO que merece todas as letras em caixa alta. 

Também é irritante a maneira como Lukas tenta nos convencer do quanto ele é inteligente, brilhante e rico. Que ele nem precisaria trabalhar. A eloquência dos seus relatos sobre sua vida fora do campo das drogas, sobre seu mega apartemento, sobre sua mega festa de casamento, sobre a sua mulher mais linda do universo ... mostram que o cara é um megalomaníaco pirado. Ele provavelmente era um classe média alta que se achava acima do bem e do mal só porque tinha uns trocados a mais na conta. Fica bem claro em alguns momentos o quanto ele estava mal economicamente e é incrível como ele mesmo quer seguir afirmando veementemente o quanto ele ainda era capaz de sustentar a mulher e os filhos. É notável que ele botou as finanças da família na sarjeta e tenta a todo custo nos convencer que aquilo tudo é risco planejado, que está tudo sob controle ... que na verdade é até mesmo uma escolha própria viver assim, um pouco mais modestamente (pouco, ahaaam) pra poder seguir vivendo como um adolescente. 

Enfim, o cara é tão fraco da cabeça, e tenta passar uma imagem tão irreal dele, que é preciso estômago pra seguir lendo o livro. Mas não pense que o livro é ruim só porque o cara é ruim da cabeça ... oras, quantos livros maravilhosos temos baseados em grandes vilões. O problema é que o autor quer nos convencer de todas essas coisas !!!  É tão fácil detectar a forçação de barra que fica difícil digerir o livro. 

Um momento marcante neste ponto é nos trechos em que ele quer nos fazer acreditar o quanto Lukas é inteligente, o quanto é acima da média, o quanto ele tem um dom maravilhoso pra fazer dinheiro e só não está fazendo porque né .... tão bom ficar andando de barco por aí. E a todo momento quer nos convencer de que se ele largasse o barco, faria fortuna ... porque né, ele é bonzão demais. E fica claro pra mim que isso tudo é uma fuga porque o cara não tem sequer aptidão pra se inserir na sociedade de forma adulta e responsável, que dirá exercer qualquer profissão que exija alguma manejo mais especializado. Ele insiste em vários momentos do livro que ele realmente é muito bom no mercado financeiro e eu realmente só visualizo alguém desesperado pra tentar se desvencilhar do crachá de traficante que ele mesmo fez questão de botar no peito. 

Deu pra perceber o quanto me irritei com a história ? O quanto achei o cara fraco das ideias ? Irritantemente irresponsável, prepotente e arrogante ... oras, talvez alguém queira lembrar de que lá em cima falei em Johnny e quem sabe alguém saiba o quanto eu achava ele engraçadinho .... oras, Johnny também era irresponsável ... mas ao menos era assumido ... e tinha carisma. Esse Lukas é um zé mané.

E por fim Lukas teve muito mais do que merecia, mas digo de forma positiva... no livro ele conta como se utilizou de uma brecha, um erro de tradução, pra ser deportado e ter a pena bastante reduzida. Qualquer coisa que ele tenha passado deve é agradecer pois já está em vantagem .... pois ele poderia ter ficado mais tempo preso. Aliás, talvez devesse ter ficado pois realmente nota-se que não aprendeu nada com sua trajetória. 


Que livro ? Tudo ou Nada
 
Quem escreveu ? Luiz Eduardo Soares
 
De que ano é? 2012

E a editora ? Nova Fronteira
  
Qual o assunto do livro ? Embora fictício, o livro é inspirado numa história real e conta a trajetória de um brasileiro que acabou sendo preso em Londres por tráfico internacional de cocaína. Da vida hippie vivendo num barco e fazendo nada da vida, logo Lukas está comercializando maconha e haxixe, e se enveredando cada vez mais para o mundo do crime. Lukas acredita estar acima do bem e do mal e sente-se injustiçado por acabar numa prisão de segurança máxima no exterior, condenado a 24 anos de prisão e iniciando uma luta pela extradição e libertação.

E que tal a linguagem e a leitura  ? O autor não convence e tenta passar uma imagem do personagem bem difícil de engolir. Também não gostei do esquema narrativo, que não tem sequencia linear; por vezes é difícil identificar se aquele momento narrado é da história de vida dele antes da prisão ou se ele se envereda novamente no vício após (trechos contando sobre sua decaída financeira e emocional após se render ao vício da heroína).
 
Recomenda ?  Pura perda de tempo. Não. 

Esperamos que o próximo seja melhor ! ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...