3 de setembro de 2016

Sopa de Letrinhas: Caixa de Pássaros / "Não abra os olhos"

Após tantos anos de leitura, eis que me dou conta que nunca havia lido um livro de terror. Na verdade está aí algo que nunca me atraíra no passado nem na televisão. Eu era tão traumatizada com o filme Exorcista, que assisti na infância ainda .. que por anos e anos fugi do gênero. Mas há alguns anos, por motivos inexplicáveis, passei a curtir e muito as histórias de terror do cinema. Tudo começou com Jogos Mortais, e aí veio Samara, O Chamado .. e meu apreço só foi crescendo. E agora enfim me rendi ao gênero literário do terror: minha primeira leitura na área !


Caixa de Pássaros, escrito por Josh Malerman, conta a história de Malorie, uma mulher em busca da sobrevivência, vivendo num mundo onde o medo da morte paira em todo lugar.  O mundo foi tomado por uma estranha epidemia, que traz morte, aparentemente por suicídio, para todos aqueles que são expostos. A sua trajetória se inicia, acompanhada de 2 crianças, numa fuga em busca de segurança.

Quando a história se inicia, já fazem 4 anos que Malorie vive nesse novo mundo de medo e mortes. No início do livro o suspense é caótico, pois é difícil entender do que ela foge exatamente. A cada capítulo a história vai oscilar entre o início da epidemia e o tempo atual de fuga de Malorie e as crianças. Em um capítulo você está mergulhado numa história onde Malorie é uma jovem comum, com uma gravidez recém descoberta, ainda tentando traçar um futuro na vida. No próximo capítulo você se depara com uma mulher amedrontada, mas calejada pelos anos de medo e privações, que se defende do incerto da maneira que pode, tentando proteger a si própria e a 2 crianças.  E assim os capítulos prosseguem, num vai-e-vem constante, entre o passado e o presente, com uma diferença de 4 longos anos de medo da morte possivelmente eminente.

O suspense é uma constante. As mortes se iniciam de maneira inexplicável e assim permanecem no decorrer dos anos. As pessoas morrem pelo simples fato de entrarem em contato visual com o mundo exterior. Elas parecem enlouquecer e cometem atos terríveis, que invariavelmente culminam com mortes horríveis. As pessoas passam a ser prisioneiras das suas próprias casas .. mas como viver isolado dentro de uma casa, sem poder olhar pelas janelas, sem poder ter contato com o externo, e ainda assim continuar tendo acesso a comida, água, medicamentos, etc ? O tempo é cruel e cada dia é mais um dia mergulhado na incerteza, dentro de uma casa cujas janelas cobertas por mantas e cortinas são a mais potente arma que se tem contra a morte. Olhar para fora, é o suficiente para morrer de maneira dramática e inexplicável. Ninguém entende o que acontece .. o que está matando ? Como ? No decorrer do livro o suspense paira, há aquela expectativa constante pelo próximo acontecimento e a mente do leitor fervilha na busca de uma explicação pra tudo isso.


A divisão entre os tempos passado e presente, com um vai-e-vem constante, é bem marcada e inicia e fecha direitinho a cada capítulo. A construção da história e conexão entre os tempos nos dá um forte senso de organização, e não permite confusão. Pelo contrário: a marcação entre os tempos é tão forte, e a diferença do que ela vive em cada um deles também, que logo que você parte para o próximo capítulo é fácil logo imergir novamente na história daquele período.  Essa clareza nem sempre é fácil de ser conseguida nos livros que usam desse artifício de misturar as épocas dentro da construção da história.

 Quando você se depara com Malorie tentando salvar a si própria e as crianças, você se depara com uma mulher tão fria, tão mecânica, que é assustador ficar imaginando que tipo de relação ela tem com a menina e o menino. É assustador pensar que sequer nomes as crianças tem, e Malorie nem parece se importar com isso.

A maneira como Malorie conduz a criação das crianças foi algo que dividiu opinião entre os leitores. E realmente, é aterrorizador pensar numa criança crescendo assim. Mas é preciso ir lendo e se desesperando com as mortes, para entender tudo que ela faz. Para entender como tudo isso conduz para um caminho no futuro. As histórias se entrelaçam, de tal forma, que tudo enfim, parece fazer algum sentido. Ou quase tudo.

Eu devorei o livro. A todo momento tentando entender os pequenos detalhes da narrativa, a todo momento tentando imaginar o que afinal matava as pessoas,  a expectativa constante para saber o destino dos outros personagens (sim, há outros .. não comentei, mas Malorie ao longo da história não está sozinha na casa onde luta contra o obscuro) e acima de tudo pra saber sobre como eles vão lidar com essa ameaça. Mistério e suspense constante.
Gostei muito da leitura. Achei que um livro não seria capaz de me prender tanto quanto um filme, mas descobri agora um novo gênero literário pra incluir nas minhas leituras.  E se você ainda não se aventurou neste gênero, esse livro é uma ótima pedida pois ele é tão instigante que te fazer devorar as páginas em busca de respostas.



  RESUMÃO
Que livro ? Caixa de Pássaros, Não abra os olhos
Quem escreveu ? Josh Malerman

E a editora ? Intrínseca

E sobre o que é ? Recheado de suspense, traz a história de um grupo de pessoas que tenta sobreviver ao caos após iniciar-se uma epidemia inexplicável que faz com que mortes misteriosas ocorram no mundo inteiro. Algo faz com que as pessoas simplesmente se matem de uma hora para outra. Sem explicação, sem motivação. As mortes são muitas vezes cruéis e aterrorizantes. E no meio disso tudo uma mulher, Malorie, tenta achar uma escapatória em busca de segurança para ela e suas duas crianças.  

E a linguagem ? Fácil e acessível, com capítulos que se intercalam entre um vai-e-vem constante entre os anos : o inicio da epidemia, 4 anos atrás; e o tempo atual, onde Malorie e as crianças andam pelo desconhecido procurando por salvação ... ou pelo menos um pouco mais de segurança.

Recomenda ? Super ! Se você curte livros de suspense e terror, é uma ótima pedida. Se como eu, até gosta, mas nunca se aventurou no gênero, é uma excelente dica pra começar a explorar esse tipo de leitura. Isso porque o livro captou tão bem e rapidamente minha atenção, que li com avidez e muita curiosidade, mostrando que vale a pena a leitura.

2 comentários:

  1. Olá, Paty! Eu adooooro terror, tanto na literatura quanto no cinema. Mas confesso que na literatura sou bem mais exigente. Acho que por ter lido Edgar Allan Poe muito nova (que para mim sempre será o grande mestre desse gênero), minhas expectativas ficaram muito altas para esse tipo de livro e por isso acabo nem lendo muitos. Já nos filmes eu gosto mesmo é do lado b da coisa hahaha vejo de tudo! Tenho o caixa de pássaros e espero curtir tanto quanto você! beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Isabela ! Acho que como estou recém me aventurando no gênero na literatura, fui bem cabeça aberta e nem sabia direito o que esperar .... mas espero que vc goste sim. Quero saber depois ! Bjs !

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...