29 de abril de 2015

Dicas de organização: como renovar sua casa e desapegar do desnecessário ?

Você já parou pra pensar por que pra algumas pessoas é tão fácil e óbvio manter sua casa ou local de trabalho organizado e ajeitadinho ?

Você pode dizer que a preguiça, a falta de tempo e a falta de espaço são importantes contribuintes para isso e eu concordo que são elementos que podem fazer parte. Mas também acho que a personalidade também é um fator fundamental. Enquanto algumas pessoas facilmente se satisfazem com um ambiente "clean", outras pessoas adoram "carregar" nos adereços e enfeites e tem uma mania de guardar objetos dos mais variados.

Eu particularmente me enquadro nessa última categoria. Tenho um apego enorme por "objetos", "coisas", "lembrancinhas". Adoro guardar miudezas, coisinhas bonitinhas, objetos que de alguma forma remetam a boas lembranças, revistas antigas, etc. Com isso, por mais espaço que você tenha disponível, ele nunca é suficiente. Você acaba ocupando cada vez mais seus armários com objetos sem uso e tornando o visual do seu espaço muito poluído.

Como mudar isso ? Atitude ! Temos que ter consciência do que estamos fazendo e sermos capazes de exercer nosso desprendimento. E neste ano me propus a fazer isso. Fazer uma limpa nas minha gavetas e armários, nos meus materiais de estudo, em tudo. E procurar renovar o espaço, me livrando de tudo que é objeto desnecessário e dispensável. 

Então se liga nessas dicas, sobre como liberar espaço na sua casa, ter coragem de desapegar e conseguir selecionar melhor o que vai manter no seu espaço. 

  • Estipule prazos para utilização de objetos sem uso

Não tem certeza se está pronta pra jogar algumas coisas fora ? Estipule um prazo para uso delas. Eu por exemplo queria me desfazer de algumas paletas de maquiagem e não tinha coragem. Há tempos não usava mas achava tão legais as cores. Então me dei 6 meses de chance .. caso não usasse, jogaria elas fora. Deu certo e consegui desapegar (algumas ficaram, outras joguei).
Você pode usar esse mesmo princípio para roupas, acessórios, bolsas e calçados.


  • Fotografe objetos que tem apego emocional

Dificuldade para se desfazer daqueles objetos do passado que trazem lembranças bacanas ? Guarde apenas o que realmente fizer sentido pra você. Pense nos objetos os quais você se contenta em apenas lembrar da existência deles: fotografe pra guardar de recordação e jogue os objetos fora.



  •  Agendas velhas: reúna as informações importantes

Se as agendas não tem significado afetivo pra você, se desfaça ! Eu reuni algumas das minhas agendas e anotei tudo que poderia haver de importante nelas em apenas uma agenda mais atual e joguei todas fora. Nada de guardar uma agenda inteira pois podem ter alguma informação relevante no futuro. O mesmo vale para listas telefônicas: livre-se das antigas ! Acredite, você não precisa de uma coleção delas, guarda apenas a mais atual.

  • Revistas Velhas: leia ou jogue fora

As vezes guardamos revistas porque falam de acontecimentos marcantes, ou porque pensamos que um dia ainda poderemos lê-las. Mas vale a mesma dica pros objetos com pouco uso: estipule prazos. Se sua intenção é lê-las no futuro, retire-as aos poucos e deixe na sua cabeceira. Pode ser uma por semana, uma por quinzena, não importa. Aí você se dá aquele prazo para lê-la ... lendo ela ou não, jogue fora quando terminar o prazo e substitua por outro. Talvez você se dê conta que você guardou uma revista inteira por conta de uma reportagem que nem valia tanto a pena assim. Guardar tanto papel por conta do passado ? Arranque as páginas que te interessam e monte um álbum então. Mas jogue as pilhas de revista fora. Claro que se você é uma colecionadora, a história é outra.

Eu por exemplo curto guardar alguns tipos bem específicos de revistas: revistas em inglês da Speak Up mesmo que velhas, revistas do tipo colecionáveis com algum assunto que me interessa, gibis especiais (como esse com o episódio do casamento da Mônica e Cebolinha) e principalmente revistas sobre guerras (sou aficcionada pelo assunto !). Todas são revistas muito importantes pra mim. Mas do mais: fora ! Joguei fora muitas revistas femininas, afinal, não coleciono e é bobagem achar que um dai vou querer reler novamente.




 DICA

Uma dica se tem dificuldade de se desfazer das revistas: em relação as femininas, peguei uma agenda velha e montei uma espécie de álbum. Recortei fotos que achava interessantes, dicas de produtos que possa querer comprar, looks que de alguma forma especial me chamaram a atenção. Colo na minha agendinha e jogo a revista fora. E se a foto não couber na agenda ? Só lamento, vai fora !


  •  Material de Estudo

As vezes achamos que um dia podemos vir a precisar novamente de alguns desses materiais que usamos no colégio, cursinho, faculdade. Mas alguns desses materiais acabam se tornando ultrapassados e não vale a pena guardar. E novamente, se por anos não usou, é hora de se desfazer.

Aproveitei e fiz uma boa limpa também nos meus materiais de estudo. Eu tinha muito material da época de cursinho e de colégio. O legal é você passar adiante se possível. Caso não conheça estudantes que possam querer o material, é o material perfeito pra passar pra empresas ou pessoas que trabalham com reciclagem.

E esse jogo fez muito sentido pra mim no passado e guardo há anos. Não tem porquê seguir guardando ele. Resolvi doar.


  • Corpo Novo: Roupa Nova

Esqueça a história de guardar roupas pra quando emagrecer !
As vezes temos essa ilusão de guardarmos roupas que curtimos mas não nos servem mais na esperança de um dia voltar a caber nelas. Eu, como uma experiente mulher de efeito sanfona ao longo dos últimos 20 anos, posso te dar a certeza: quando você emagrecer, você não vai querer essas roupas. Quando a gente emagrece, corremos felizes da vida pra comprar roupas novas ! É fato ! Não há nada melhor do que entrar numa loja e tudo se assentar tão bem... então, não tenha medo. Guarde somente uma pecinha ou outra pela qual tenha muito carisma ou aquela peça atemporal pra ser guardada por anos mesmo (tipo uma jaqueta ou um casaco especial). Mas blusinhas e pecinhas da moda de anos anteriores ? Desfaça-se.

Fiz 2 grandes limpas de roupas nos últimos 2 anos e neste ano consegui fazer uma boa limpa nos calçados. Mostrei um pouco no vídeo lá embaixo.

  • Papelada, contas pagas e comprovantes em geral

Para evitar papelada espalhada por tudo, procure organizar suas papeladas e não espalhar tudo de forma aleatória. Eu adoto o sistema de caixas há muitos anos e tem dado super certo.

Sistema das Caixas 
Separei uma caixa de sapatos pra guardar exclusivamente contas pagas: telefone, celular, luz, água, boletos em geral. Quando a caixa encher, você então pode fazer uma limpa e jogar fora todas as mais antigas mantendo apenas as contas de último ano ou meses por exemplo. Algumas a recomendação é que sejam guardadas por 5 anos. Se são contas de empresa, guarde pelo tempo recomendado. Após alguns anos, acabei tendo uma caixa de sapatos guardada cheia apenas com contas dos últimos 5 anos, e uma caixa ativa mais a mão, pra ir guardando tudo que é mais atual pago e ir jogando fora em prazos menores.

Já outras papeladas, fiz o seguinte: separei essas caixas durinhas que compramos em papelaria e guardo tudo organizado. Em uma das caixas, apenas exames médicos (como raio x, ultra-som, endoscopias), também algumas receitas médicas e bulas e tudo que for relacionado a saúde e não pretendo me desfazer. Em outra caixa, guardo os meus certificados profissionais. Em outra caixa guardo documentos e papeladas diversas das quais não pretendo me desfazer por agora e mesmo não são de uso ocasional sequer. Em outra caixa, guardo tudo que é papelada atual, é uma caixa que fica a vista, onde tudo que é papel que não sei o que fazer: jogo na caixa.  E assim faço como a caixa de sapatos com contas: vou deixando acumulando e de vez em quando faço uma limpa nela, e elimino tudo que é desnecessário. E claro, de tempos em tempos é bom procurar também rever as outras caixas pra ver se não tem coisas que podem ir fora após tanto tempo.


Parece muito, mas acreditem, é um grande progresso pra mim. Eu costumava guardar muito mais coisas e de forma tão aleatória que não sabia nada sobre o que estava aonde.

Papelada é um "peso morto". Além de ocupar muito espaço, traz muita sujeira, atrai traças e outros insetos e acumula pó e energia negativa. Quanto mais eliminarmos, melhor !

  • Cremes, remédios, produtos vencidos

Essa limpa deve ser feita anualmente. Aqui em casa fazemos todo ano, tanto nos armários da cozinha, dos banheiros e na caixinha de remédios. E é incrível, todo ano sai coisa. Nos armários da cozinha é sempre possível encontrar alguma coisa vencida escondida no fundo. Remédio vencido então nem pensar. Cosmético é muito peculiar: eu particularmente guardo maquiagem e afins por mais tempo do que o recomendado, enquanto a textura, cheiro e características seguirem firmes. Mas outros produtos eu jogo fora, até mesmo pra cabelos, não guardo produtos vencidos.
E se você é do tipo que usa maquiagem vencida, você deve fazer uma avaliação: está vencida e apenas guardada ou está vencida e você usa mas pouco ? Pois pra termos muita maquiagem vencida, é sinal ou que temos muita maquiagem, ou  que estamos usando pouco as que temos ou ainda que temos maquiagens que nem gostamos de usar mas seguimos guardando pelo simples prazer de acumular quantidade de maquiagem. Será algum desses fatores ? Se você definitivamente não está usando as makes, reveja a primeira dica. Estipule prazos. Se não usou naquele prazo, jogue fora ! 

  • Pra que serve isso mesmo ?

Por que é que você guarda coisas que nem sabe direito pra que servem ?
Encontrei nas minhas gavetas vários objetos que eu nem sabia direito o que eram ou pra que serviam. Cabos estranhos, carregadores de celulares que não tenho mais, conectores eletrônicos que não faço ideia de onde eram, etc. Fiquei anos guardando essas coisas temendo que algum dia descobrisse pra que servissem e deles precisasse. Mas me dei conta que podem ser passar mais 10 anos e tudo estará ali guardado no fundo da mesma gaveta e eu continuarei sem saber sequer pra que servem tantos cabos e pequenos objetos estranhos. Se não me serviram nos últimos anos, bom, não precisarei mais. Jogue fora você também seus objetos estranhos !




Sei que me deliciei jogando muitas coisas fora na minha última limpa aqui em casa.

Querem ver cada coisa esdrúxula que guardava ? Olhem lá:



Espero que vocês sinceramente se sintam inspirados a liberar espaço na sua casa pra novas memórias.

Me conte mais sobre quais coisas você tem mais dificuldade pra se desapegar. E do que conseguiu desapegar mesmo com dificuldade e que técnica usou ?

Bjkinhas de Pimenta !

25 de abril de 2015

Sopa de Letrinhas: Marilyn (biografia)

Terminei de ler na última semana a minha primeira biografia sobre a  Marilyn Monroe. Fazia tempo que não lia nenhuma biografia e achei que seria bem atrativo retomar com essa diva do cinema. Trata-se do livro Marilyn, escrito por Norman Mailer na década de 70 mas relançado em 2013.

Foi a primeira vez que li qualquer coisa sobre a história de Marilyn. Até então tudo que eu sabia dela é que fora uma atriz mundialmente conhecida, cujo sex appeal inebriou multidões incluindo até mesmo o Presidente Kennedy na época e que morreu precocemente por overdose medicamentosa.

Não encontrei muitos livros biográficos sobre Marilyn, ao contrário do que imaginaria que encontraria. E alguns dos já publicados encontram-se inclusive esgotados. Uma pena pois até gostaria de ler mais pra tirar melhores conclusões sobre a vida da loira mais famosa do planeta.

O livro MARILYN está a venda em diversas livrarias virtuais. Vejam o que o a sinopse do submarino sobre a obra: "Mailer mostra uma Marilyn Monroe diferente: manipuladora, inteligente e extremamente determinada. Muito distante da imagem de loura ingênua, mimada e sortuda, que atuava por intuição, o autor nos apresenta à verdadeira estrela, que desempenhou seu trabalho de maneira brilhante e sucumbiu à depressão no auge da carreira. ".

O livro fala pouco sobre a infância e adolescência de Marilyn, até pela escassa fonte pra tais informações. Ela tinha poucos parentes,  a mãe passou muito tempo internada em alas psiquiátricas e a própria Marilyn passou por casas adotivas ou orfanato. Confesso que fiquei com muitas dúvidas em relação às colocações do autor em relação a essa época em específico: ou porque a fala não me parecia verossímel, ou porque ele parecia estar sendo bastante tendencioso ou mesmo porque eu achei que com tão pouca informação dessa época, como poderia ele ter tirado conclusões tão precisas de forma tão depreciativa sobre ela. Pra mim o mais chocante foi o autor ter mostrado Marilyn como uma pessoa mentirosa a começar por ter supostamente mentido sobre ter sofrido abuso sexual quando ainda jovem. Em nenhum momento ele dá provas, apresenta dados concretos ou explica porque tem tanta certeza que Marilyn mentiu sobre isso. Pelo contrário, afirma veementemente que até o fim da vida ela seguiria afirmando tal fato ser verdade. Oras, me pareceu isso uma atitude tipicamente machista e maquiadora da verdade, e pintando ainda Marilyn como uma mulher excessivamente sexual.

O fato é que em vários momentos tenho a nítida impressão que há muito de preconceito nas falas do autor sobre Marilyn. Começa a ficar compreensível quando você se dá conta que o autor escreveu o livro há várias décadas atrás (lembrando que é uma reedição !). Acredito que o pensamento machista da época preponderou na escrita.
Mas seja como for, eu não sabia nada sobre a Marilyn, então fiquei surpresa com algumas colocações e descobertas sobre ela. Fiquei imaginando como seria a TAG Fatos sobre a Marilyn: descobriríamos coisas como:

  • Adorava inventar histórias
  • Teve uma infância solitária
  • A mãe era louca
  • Tinha uma luz própria extraordinária 
  • Era muito irresponsável
  • Tinha sérios problemas com insônia
  • Usava as pessoas o mais que podia enquanto lhes eram úteis
  • Era manipuladora
  • Era burra
  • Era egoísta
  • Vendia filmes com ninguém. Bastava aparecer neles.
  • Sua vida pessoal foi tumultuada mas não especialmente interessante. 

Minha dúvida é: não gostei do autor ou achei desinteressante a vida real por trás do mito que foi Marilyn ? Eis a dúvida.
Também fiquei decepcionada pelo fato do livro não ser ilustrado. Eu sempre espero fotos interessantes da vida da pessoa quando leio biografias. Especialmente fotos da época que a pessoa não era tão famosa ou ainda fotos pouco conhecidas.

No final do livro eu me dei conta da ampla pesquisa que o autor fez para compor sua biografia. Mas essa pesquisa foi embasada não apenas em filmes, documentários e contato com pessoas que conheceram Marilyn ... também ficou claro que ele usou diversos outros livros e textos sobre ela pra compor sua obra. Acho que isso explica porque a biografia fico tão inconstante.

A impressão que tive é que ele fez uma miscelânea com outras obras pra tirar suas próprias conclusões, utilizando talvez diferentes obras pra retratar diferentes momentos. Parece que ele transita sua opinião sobre ela entre conclusões muito díspares em cada momento da vida dela. E isso fica inclusive nítido na própria escrita, onde há momentos que dá a impressão até que é outra pessoa que está agora contando aquela história. Enquanto em alguns momentos ele retrata ela como uma pessoa burra e sem capacidade produtiva. Dali algumas páginas menciona seu carisma irresistível, seu talento nato e como consegue manipular as pessoas.  


Bom, o fato é que agora estou eu a cata de mais um livro sobre Marilyn pra ler mais sobre a vida dela e poder tirar melhores conclusões sobre quem foi ela. Eu particularmente não gostei muito do livro e das impressões machistas referidas pelo autor e isso acabou maculando minha confiabilidade no livro como um todo.  Mas quem sabe lendo mais, acabo me surpreendendo e descobrindo que Marilyn era tudo isso mesmo. Afinal, é importante frisar que Norman Mailer é um reconhecido autor norte-americano, autor de vários livros elogiados pela crítica e ganhador de 2 prêmios Pulitzer. E esse livro teria sido inclusive elogiado por ter mostrado uma faceta da Marilyn diferente daquilo que normalmente as pessoas estavam habituados a ler sobre ela: uma imagem de uma mulher mais dura, mais perversa talvez, mais determinada e que traçou seu próprio caminho.

E era isso gente, esse foi o Sopa de Letrinhas da vez.
E como de hábito, saibam um pouquinho mais sobre essa leitura no quadro auxiliar que sempre deixo no finalzinho das minhas resenhas de livros:

Bjkinhas de Pimenta

Que livro ? Marilyn
Quem escreveu ? Norman Maileer
Qual a Editora ? Record
É um lançamento ? Que nada ! A publicação original é de 1973. Mas a Record está republicando esta edição comemorativa com nova tradução
É ilustrado ? Acredita que é uma bibliografia sem fotos ? Senti falta. Não é obrigatório, mas é sempre tão simpático quando as bibliografias trazem uma coleção de fotos da personalidade retratada.   
E sobre o que é ? Biografia de Norma Jeane Mortenson, mais conhecida como Marilyn Monroe.
Fácil de ler ? A leitura em si não é fluida. O autor mescla diferentes formas de escrever, por vezes como que contando uma história, por vezes como se fizesse uma reportagem, por vezes até parece estar declamando uma poesia. É uma miscelânea meio estranha. Mas os capítulos são de tamanhos medianos e a leitura não é difícil. Há coesão entre os capítulos e a vida de Marilyn é retratada na devida ordem dos acontecimentos, o que torna fácil acompanhar a evolução da história.
Cansativo ou Entusiasmante? Sinceramente, achei a história pouco envolvente ou cativante. Em alguns capítulos apenas seguia lendo para poder saber se partiria para algo mais empolgante no futuro, mas não é um livro muito interessante. Me surpreendeu, de uma forma negativa.
Recomenda ? Acho que é uma leitura dispensável, a menos que você seja um fã inveterado dela.

21 de abril de 2015

Lápis de Cor Crayola com 50 Cores no Duty Free

Oi gente !  O tema de hoje é fácil de entender: vou dar uma dica supimpa pra você que está também encantadíssima com a febre dos livros para colorir para adultos.

Eu encomendei os meus livros e eles já estão chegando. Estou super ansiosa ! E na ansiedade, corri pra descobrir onde comprar lápis de cor com vários tons de cores.

Pesquisei em vários lugares na internet e fiquei pasma com os preços ! Encontrei caixas maravilhosas, super completas, com diversos tons de cores, mas a maioria profissionais e com preços oscilando entre R$ 300,00, R$ 500, R$ 600,00, $ 1200 e até mesmo caixas de lápis de cor por R$ 2.500,00. Gente, pensa bem ! E essas caixas não tem um milhão de cores não ... são caixas com 48 cores, 60, 80 cores, até 120 cores. A maior parte deles são da Faber Castell, mas a própria Crayola foi outra marca que encontrei em vários sites. Outra marca comum vista foi a Staedtler.

O fato é que os livros de colorir fizeram tanto sucesso que em duas semanas fui fazer nova busca e os únicos kits menores (até 80 cores) com melhores preços estavam todos esgotados.

E no Paraguai mesmo só encontrei lápis de até 36 cores da Faber Castell, esses que a gente já vê aos montes pelo Brasil. Já estava pronta pra comprar pela internet quando fui dar uma espiada no Duty Free da Argentina procurando por algumas bebidas e pensa na alegria quando encontrei ao acaso esse conjuntinho da Crayola com 50 tons de lápis de cor. Gente, muita alegria !


E o preço ? Pasmem, por apenas $ 21,00 (DÓLARES). Se você acha caro, pensa que os lápis mais barato que eu havia encontrado em sites eram 80,00 reais com 48 cores ou então depois disso encontrei de 60 cores por R$ 300,00. Depois disso eram só preços mais e mais exorbitantes.

E como eu paguei em pesos, saiu mais barato ainda. Eu paguei 0,30 no peso. A cotação do peso no Duty Free quando fui estava em 8,95 na conversão do dólar em peso. Ou seja, minha caixa de lápis de cor com 50 cores saiu por 56,3 REAIS.

Pra entender a conta: 21 (preço em dólar) X 8,95 (cotação pra conversão dólar-peso no dia) X 0,30 (quanto paguei pelo peso)

Já dei uma experimentada nos lápis e intimei meu sobrinho de 5 anos pra me ajudar a testá-los. Imagina só, os olhinhos dele brilharam com tantos lápis de cor. E tanto ele quanto eu aprovamos os lápis. Espia só no verso da caixa quantas cores:


Gente, eu amei. E a Crayola é uma marca super respeitável, com mais de 100 anos de história, que tem no seu carro chefe a produção de lápis de giz de cera. Seus produtos em cera se tornaram mundialmente famosos e eles tem hoje uma linha super ampla de produtos escolares. A origem da empresa é americana mas eles estão presentes no mundo todo inclusive no Brasil. E é claro, agora também sei que inclusive no queridinho Duty Free de Puerto Iguazu.


Enfim, agora é conter a ansiedade na espera pelos meus livros de colorir. Pra quem não sabe ainda do que estou falando, tratam-se dos livros lançados pela Johanna Basford, dedicados para alunos colorir como forma de lazer e anti-stress. São um sucesso de vendas e viraram rapidamente febre no Brasil. 

Comprei os meus livros na Saraiva (online) e haviam pelo menos 4 opções do livro.  Paguei pouco mais de R$ 20,00 em cada e mostro pra vocês eles assim que chegarem.


Bom gente, era isso. Espero que tenham curtido a dica e se também está curtindo essa ideia de usar o colorir para descontrair, aproveitem o ótimo preço deste kit da Crayolan.

Bjkinhas de Pimenta.
 

15 de abril de 2015

Meus óculos de Grau: lindos, funcionais ou divertidos

Oi Gente !

Hoje eu vim mostrar pra vocês a minha pequena coleção de óculos de grau. Bom, não é bem uma coleção mas como a maioria das pessoas que eu conheço tem 1 ou no máximo 1 óculos de grau em uso, acho que os que tenho já configuram uma mini-coleção.

E pra facilitar eu resolvi gravar um vídeo pra mostrar os óculos. Como prometido no vídeo, vou deixar aqui as fotos dos óculos, para vocês poderem ver os detalhes um pouco melhor. Mas no vídeo vocês podem ver melhor os modelos no meu rosto, de onde vieram, quanto paguei e principalmente qual é a história envolvida na compra de tantos óculos. Acho que vocês entenderão melhor o porquê de tantos óculos.

Assistam:


E é isso gente. E abaixo vocês podem ver um pouquinho mais de perto cada óculos.

Vou começar com o "Vogue da 25", meu óculos de todo santo dia. Já perdendo os strass e começando a dar seus sinais de cansaço hahaha ... mas enquanto outro amor pra todo dia não chega, ele segue sendo meu Top óculos.


E os demais para brincar:




















E finalizo com um dos meus queridinhos.


E era isso gente, curtiram os meus óculos divertidos ? Tudo pra dar mais cor e humor ao look. E vocês, gostam de variar os óculos também ?

Bjkinhas de Pimenta.

10 de abril de 2015

Pó Facial O Boticário: tão bom quanto prático ?

Hoje vou falar de um produto do Boticário que não é nenhuma novidade, já está há um tempo no mercado mas eu demorei pra finalmente me render à ele. É o pó facial do Boticário que vem dentro de um prático aplicador com pincel.



Esse pó facial é da linha Make B. Ele é super fácil de aplicar e você consegue dosar bem a quantidade de pó para a aplicação. Na verdade, não é preciso nenhum cálculo matemático pra isso ... o pincel possui na sua extremidade inferior um botão que quando pressionado libera uma quantidade de pó nas cerdas. Pronto, agora é só espalhar o produto no rosto.


Uma dica que a vendedora me deu é que não é necessário mais do que uma apertada no gatilho pra ter produto suficiente pra aplicação no rosto todo e foi fácil constatar que ela estava certíssima. Inclusive ela me alertou que as vezes algumas pessoas se queixavam desse produto alegando que ele acabava aplicando muito produto, saindo produto demais ou mesmo até tonalizando. Mas isso era porque as pessoas apertavam várias vezes achando que o produto não estava saindo. Nada disso foi problema pra mim visto que tenho usado como ela mencionou e não é mesmo necessário uma segunda apertada no botão pra um bom resultado. E a cor ficou tão perfeita em mim que uso sem medo de acabar distorcendo a cor base.

 Parece pouco, mas uma apertada e esse tanto de pó já é visível no miolinho do pincel. É só começar a espalhar pelo rosto, que o pó vai saindo aos pouquinhos do pincel para o rosto.


 O produto é super prático e adorei principalmente pra levar em viagens. Quando faço viagens curtas tenho muita preguiça de carregar pó por conta das embalagens difíceis de encaixar em necessaires. Esse pó é perfeito pra carregar, tanto em viagens ou até mesmo pra carregar no dia-a-dia

O pó em si é muito bom, deixa a pele bem seladinha, com acabamento uniforme e segura super bem a oleosidade ou brilho. A minha cor é a bege claro, que casou perfeitamente com a minha pele. O total de cores disponíveis são 4. E o custo-benefício é ótimo: o pó custa em torno de R$ 64,00. Achei o preço super digno ! E olha lá as cores disponíveis:


O legal é que além de ser prático, o aplicador possui uma proteção para as cerdas, de forma que elas ficam protegidas quando o pincel não está em uso. Isso evita tanto sujar as cerdas pelo contato com o ar, poeira, etc., bem como evita que as cerdas se danifiquem no transporte do pincel na sua mala, bolsa ou necessaire.


E aí basta fechar:


E  qual a ressalva ? A única ressalva que eu tenho é que acho as cerdas muito duras e como elas não se abrem muito (até mesmo por não serem macias), a aplicação é um pouco mais demorada do que seria com o uso de um bom pincel de pó. Fora que a sensação não é boa, porque você sente aquela rispidez das cercdas. Acho que se ao menos deixassem as cerdas do pincel mais macia, esse produto seria perfeito.

Portanto, resumindo: é prático, é funcional, pequeno e fácil de carregar, tem uma apresentação legal, é eficaz e tem um preço razoável. Apenas poderia ter cerdas mais macias. Mas eu curti e estou super adepta dele.


E vocês, já usaram esse produto ? Gostaram ?
Bjkinhas de Pimenta.

6 de abril de 2015

Cuidados com as mãos: Luvas de silicone Belladonna

Hoje tem dica ótima pra cuidado com as mãos. Procurava um produto pra hidratar as mãos, visto que no hospital fazemos lavagem excessiva e nos expomos muito a sabonetes mais agressivos bem como a uso frequente de álcool. 

Não é incomum as mãos ressecarem tanto que a pele chega a ficar friável, ou seja, ela facilmente se abre em alguns pontos. As fissuras em geral são decorrentes do ressecamento, provocado principalmente pelo álcool.


Quando estive em uma Farmácia Panvel, logo que me deparei com essas Luvas de Silicone da Belladonna e li o verso da embalagem, fiquei intrigada pra saber se o produto não poderia ser um aliado no combate do ressecamento das mãos. Isso porque ele não promete apenas hidratação, mas também a proteção contra agentes agressores.



Embora eu já tivesse usado luvas de silicone no passado, eu nunca usei com esse conhecimento sobre a possibilidade de formar uma barreira de proteção contra agentes agressores. Eu usava depois, para tratamento posterior para o ressecamento. E não como forma de hidratação e prevenção.

Sendo assim, tratei de testar no hospital:  Levei ele comigo para onde ia, e procurei usar o máximo de álcool nas mãos, mais até do que normalmente uso. O usual é em poucas horas de exposição excessiva ao álcool, eu já sentir o tensionamento da pele, além da sensibilidade aumentada, tornando dolorido até mesmo o contato por vezes.

Pra minha surpresa, a película ficou firme nas mãos durante várias vezes do uso do álcool. Senti necessidade de reaplicação poucas vezes, mas a cada vez que precisei fazer, fiz a lavagem completa com água e sabão para conseguir remover os resíduos da película e então reaplicava as luvas de silicone. E assim podia seguir fazendo uso de álcool sem remover a proteção.

E o melhor, é que além de proteger, o produto também hidrata e promete até mesmo uma ação anti-envelhecimento. E isso é possível graças às partículas de vitamina E que contém no produto. Nunca tinha visto nada assim em nenhum creme para mãos !! Achei o máximo !

Notem na embalagem externa, como é possível ver as "bolinhas de vitamina E". 



Parecem poucas cápsulas, mas quando você coloca o creme na mão, logo se depara com algumas dela ao ir espalhando o creme. Algumas são bolotões, outras pequeninas bolinhas.




Basta começar a espalhar e a própria fricção trata de quebrar as cápsulas e o seu conteúdo é misturado ao creme. Finalizado o processo de esfregar as mãos, não há resquícios das cápsulas e a sensação nas mãos é um pouco inquietante: você sente a película nas mãos ! Ela forma como um escudo invisível, é possível sentir o produto, mas o engraçado é que ele não fica empapado nem a sensação de que está sujando tudo que toca com o creme. A sensação é mais próxima de impressão de ter passado produto demais. Mas é assim mesmo.

Eu particularmente amei o produto e já larguei de mão de usá-lo em casa apeas. Estou carregando ele na bolsa e procurando usar ele onde eu mais preciso de proteção contra agentes agressores, no trabalho. Claro que ainda não fiz a prova de fogo visto que estamos recém em abril e o inverno é a época que mais favorece o ressecamento e fissuras. Mas até lá espero seguir usando e poder confirmar a eficácia.

E como disse, comprei ele na Farmácia Panvel, na minha última viagem para Porto Alegre. A Panvel pode ser encontrada numa gama imensa de cidades no RS e também em alguns locais em SC. Mas se você não tem acesso a uma farmácia física deles, não se preocupe, pois pelo site da Panvel (clique) também é possível comprar. 

Espero que tenham curtido a dica.
Bjkinhas de Pimenta !

4 de abril de 2015

Papo Sério: vale a pena andar de moto ?


E hoje tem papo sério. Eu resolvi postar esse vídeo pois é um assunto que sempre comento no facebook e achei que valia a pena compartilhar este vídeo. Não é o primeiro do gênero que assisto e sempre que me deparo com um vídeo assim, acabo comentando sobre o quanto é perigoso andar de moto e compartilhando via face. Mas hoje achei que esse assunto deveria vir pro blog, pra ficar mais perene aqui e não um post perdido no passado.

 Claro que todos estamos sujeitos a toda sorte de acidentes e nunca se sabe do que resulta um mero descuido numa tropeçada infeliz. Mas convenhamos, como diz o Jô S., moto foi FEITA pra CAIR. É a lógica dela. Então, se vc adora sua motoquinha .. tudo bem .. mas tem que ter ciência de qual é a visibilidade que as pessoas tem de vocês. Mtas vezes vemos isso, pedestres se atirando na frente dos carros pra atravessar a rua pq não tem a mínima noção de proporção de distância e cálculo de velocidade. Claro que a imprudência está em todos os lados e os abuso dos motoristas contra ciclistas são especialmente ferozes ... mas o que quero dizer é .. independente de culpa, a prevenção e o cuidado devem ser gigantes pois qual é o lado mais fraco dessa história ? Quando se fala que seu corpo é o pára-choques, dá pra ter noção melhor disso nesse vídeo abaixo ? Dos giros ? Das rotações seguidas de impacto? Há que se levar em consideração que quando você se acidenta com uma moto você tem 30 (trinta !) vezes mais chances de morrer ou se machucar do que quem se acidenta com um carro.

Eu particularmente não cheguei a contar em quantos, mas em alguns dos acidentes do vídeo que mostrarei abaixo eu tive que voltar pra ver de onde veio a moto. Quanto menor a sua massa, menor a sua visibilidade. E tem uma galera que tem uma dificuldade imensa de enxergar motociclista. Há ainda que se falar nos pontos cegos .. quanto menor sua massa, por mais tempo vc estará dentro de um ponto cego e a chance de você ser atingido é muito maior do que a chance de qualquer veículo maior que você. Não é perseguição contra as motocicletas ... o vídeo que mostro mais abaixo é uma mistura de imprudência, fatalidade, descuido, desatenção, excesso de velocidade, falta de sinalização (olha a seta !) ... são tantos fatores que é pra se pensar no assunto. 

Eu sempre fui uma apaixonada por motos desde há adolescência, mas desde que ingressei na fisioterapia abandonei a ideia louca de um dia bancar uma de "Malu Mader" em Fera Ferida haha. E isso ficou mais forte ainda depois que passei a atender em clínica. Durante alguns anos tive uma clínica onde todos os meses .. TODOS ... todos os meses, TODOS .. eu disse, TODOS, eu recebia novos pacientes acidentados de moto. Era uma matemática louca, pois por causa de menos de 1 segundo de descuido, muitos deles entravam na minha clínica pra levar, literalmente, meses pra ter alta da fisioterapia. Quando digo meses é coisa de 4, 6, 10, 12 meses. A coisa tomou uma proporção tão grande que quando chegava um paciente todo quebrado, com fraturas importantes, andando com dificuldade ainda atrapalhado com suas muletas ... eu apenas olhava e perguntava: "- Moto ?". E a resposta era 100 % das vezes um "aham" ou apenas assentir de cabeça. Tá certo, vamos lá. 

Eu portanto não deveria querer reclamar, afinal os motoqueiros são uma fonte interminável de trabalho pra nossa categoria profissional. Mas é tão triste. Em geral pessoas jovens, que passam por um longo período improdutivo e muitas vezes a pessoa nem tem condição de estar afastada do trabalho por ser autônoma ou não ter carteira assinada. Isso sem falar nas dores e limitações pra tudo na vida. Além do mais, pensa só nesse dado que tenho de 2012: 7 mil crianças com crianças neste ano ficaram "inválidas" (uma nomenclatura que seja compreensível) por acidentes de trânsito e dessas 7 mil, a metade, estava numa garupa de moto.



Você pode dizer, Paty, você está sendo hipócrita, pois você anda de moto eventualmente. Sim, eu já voltei "senhoras algumas vezes" do Paraguai de moto-táxi e eu sempre voltei tremelicando e pensando : "Putz, se der zebra essa viagem ... quero só ver a minha cara quando der de cara com o Dr. Tal ou Tal no pronto-socorro" ... afinal, eram eles que me encaminhavam os quebrados. Mas eu realmente evito ao máximo e pra mim é sim uma postura de vida ir contra o uso da moto sempre que for possível. A prova disso é que não tenho uma, apesar de todo amor que sempre senti por elas desde muito cedo. Sempre achei bonito e sonhava em ter uma bonitaça ou cheia de "fru-fru". Mas tem tanto lugar no mundo pra gente encher de "fru-fru" ... eu não preciso de uma moto pra ser feliz. Além do mais, se você a cada vez que sobe numa moto está sujeito a um risco aumentado de ter sequelas mais sérias ou até mesmo morrer em caso de acidente, obviamente esse risco aumenta exponencialmente de acordo com a quantidade de vezes que você sobe em cima de uma moto.

Sei que muitos vão discordar de várias coisas mas o fato é ... as imagens dizem por si só.




Mas e como mudar isso ? Respeito, consciência, cautela são alguns dos ingredientes importantes e que devem ser adotados por todos os lados.

As campanhas na defesa dos motoqueiros ainda são muito pouco frequentes e não tenho notícias sobre a eficácia das que houveram. E as campanhas não são de forma alguma agressivas como a minha que propões não se ter motos .. elas levam muito mais para o lado da cautela, da direção defensiva, fazer ultrapassagens pelo lado correto, manter luzes acesas e claro, a questão da velocidade. Porque a moto tem que vir atrelada a excesso de velocidade ?




As campanhas italianas abaixo lembram sobre a visibilidade diminuída do motociclista quando comparado a outros veículos mas apontam medidas simples pra incrementar a sua segurança: pilotar com cautela, acender as luzes e ultrapassar pelo lado correto.

E se você observar as campanhas publicitárias de propaganda de moto, eles adoram vender a ideia de aventura, adrenalina. Essa da esquerda coloca entre os empecilhos no trânsito do motociclista, entre diversos artefatos de trânsito, relógios e celulares. Atrelam a imagem de moto com correr contra o tempo. Já nas campanhas da direita a moto é vendida como um objeto de masculinidade e força. Ou ainda vemos campanhas reforçando as ideias de velocidade, adrenalina, aventura.


Como eu disse, não estou elegendo culpados. Há muitas variáveis envolvidas nos acidentes com motociclestas. Estou apenas propondo uma reflexão: "- O risco vale a pena ?".

 Bjkinhas de Pimenta.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...