14 de setembro de 2015

Sopa de Letrinhas: As Crônicas de Gelo e Fogo: A Tormenta de Espadas

E ufa, finalmente dei conta de ler o terceiro volume da série As Crônicas de Gelo e Fogo.  Se você ainda não conhece esta série de livros, com certeza já ouviu falar da série televisiva inspirada nela: Game of Thrones. Pois acredite, é bom você conhecer as versões literárias também ! Muito mais emoção garantida !


Como já contei pra vocês neste post, amei o primeiro volume (A Guerra dos Tronos). Neste outro post falei como apenas gostei do segundo volume (A Fúria dos Reis). Pois agora eu adorei A Tormenta de Espadas. Ou seja, tão bom (ou quase tão) quanto o primeiro volume e bem melhor que o segundo com certeza.

No volume anterior, havia todo um movimento de cavaleiros em função da guerra pelo trono. Alguém sempre estava indo a algum lugar. Alguma nova batalha sempre acabara de acontecer ou alguém rumava pra uma outra. Alguns fugiam da guerra, outros corriam pra ela, mas boa parte da história se passou ou na Sede ou nas estradas do Reino. As pessoas estavam em movimento constante mas na realidade, a história em si não saía muito do lugar. Já neste volume a guerra avançou de tal forma que temos desdobramentos importantes envolvendo os que brigam pelo trono. Ainda que tudo parece tão incerto, temos uma linearidade maior, um avançar da carruagem, mais ação.

No volume 3 a história se desenrola com mais coesão. Os personagens já não estão mais tão dispersos uns dos outros. Mesmo que geograficamente longe, a história deles se entrelaça mais neste volume. Acho que a aparição dos personagens fica mais homogênea também (com uma ou outra exceção), como acontecei no volume 1. Foi uma das grandes decepções que tive no volume anterior, visto que os personagens se multiplicaram muito e as aparições deles por vezes demoravam demais.


O mais chocante é que neste volume acontecem várias mortes impactantes pela relevância das personagens que morrem. Outro ponto legal é que toda aquela maluquice sobre Os Outros, sobre gigantes e mortos que voltam pra aterrorizar Westeros, começa a fazer mais sentido. Enfim, não parece mais uma coisa maluca solta no meio do livro. O livro já começa com um toque de magia referente a esses personagens mais místicos e misteriosos e a frequência deles no livro aumenta, dando mais credibilidade ao enredo sobre eles e passamos a aceitar que será um livro cheio de acontecimentos místicos inexplicáveis e com criaturas estranhas fazendo parte dele. 


Achei esse livro bem mais interessante que o volume 2. Conseguimos fixar melhor as histórias particulares sobre algumas das múltiplas casas presentes nos volumes. As intrigas ganham uma dimensão maior. O sexo é mais escanteado. Embora os termos chulos sigam bastante frequentes na história, as cenas de sexo diminuem medianamente enquanto as cenas de estupro diminuem consideravelmente. Algumas das mulheres ganham mais notoriedade por outros feitos e não apenas por estarem ali pra fazerem papéis de mães, noivas, filhas, garotas injustiçadas. As mulheres ganham voz (um pouco, a época ainda segue sendo bastante sexista).

A Muralha e as terras além da muralha aparecem com bastante frequência neste volume, tendo capítulos inteiros se desenrolando nessas regiões. O destaque sobre o extremo Norte aumenta tanto quanto a importância dos personagens e dos acontecimentos que ali acontecem. A expectativa é que a proporção aumente ainda mais num próximo volume, visto que o Norte passa agora a se envolver mais diretamente nas transformações que acontecem em Westeros. As passagens de John Snow são ótimas !



Alguns personagens não mudam tanto o padrão. Sansa, que de apenas irritante em outros volumes, agora passa a ser cada vez mais mosca-morta, e até o momento não fez nada para merecer qualquer piedade por tudo que se passa com ela. E neste volume, o autor parece divertir-se brincando com seu destino. Se ela se livrou de se casar com Joffrey, mal poderia esperar quem seria seu novo esposo.  Cat segue mantendo-se como apenas a mãe de um possível futuro rei, mas não ganha muita notoriedade na trama visto que segue não traçando seus próprios passos. Sempre envolta com o filho Robb, o irmão ou o pai, Cat carece de uma vida própria. Acho que o sofrimento dela pela perda dos filhos poderia ter sido mais explorado no livro. Arya ganha cada vez mais destaque pela sua coragem e ousadia no enfrentamento dos obstáculos, mas seu rumo na história parece ainda muito incerto e neste volume fica claro que não está nada decidido sobre o que se fazer com a pequena menina.

Jaime Lannister trilha um caminho diferente neste volume. É difícil esquecer todo seu passado mas não é nada fácil não gostar dele em A Tormenta de Espadas. Descobre-se que J. Lannister não ganhou o posto de chefe da Guarda .. ele fez por merecer também, se dedicou muito e teve um passado voltado pra isso. Neste volume ele passa por muitas adversidades, perigos e enfrentamentos difíceis perante seus antigos pares. Parece que Jaime terá que descobrir novas formas de ser quem é, ou será que optará por ser uma nova pessoa ? O que fica claro é que o pior de Jaime Lannister vem mesmo é da sua irmã. Durante sua temporada longe dela, lutando pela vida ao longo da estrada pra voltar pra Porto Real, ele se mostra um ser bem mais humano.



Como mencionei, esse livro é mais coeso, as histórias estão mais harmônicas entre si. Embora ainda existam várias histórias paralelas, várias delas já não são tão simultâneas neste volume e sim consecutivas. Uma das exceções fica por conta dos capítulos envolvendo Danyeris, que seguem totalmente paralelos a tudo mais que ocorre no livro. No volume anterior eu não gostei muito das passagens referentes à Rainha dos Dragões. Em A Tormenta de Espadas as passagens de Danyeris se sobressaem mais, ela começa a se mostrar menos como uma garotinha que merece ser rainha e aparece mais com uma mulher que pensa e age como alguém pra dominar e reinar. Seu senso de compaixão é intercalado por atos de impiedade para com traidores, e ela já não é mais uma figura tão óbvia como antes.

Ao contrário do volume anterior, achei este bem melhor distribuído em relação a proporção de destaque a cada Casa ou região ou mesmo personagem.

O livro é extenso, segue com múltiplos personagens mas também como sempre continua tendo um guia bastante útil nas últimas páginas onde podemos identificar melhor o posicionamento de cada personagem dentro de cada Casa. Mas estou me sentindo cada vez mais familiarizada com cada um deles e poucas vezes precisei do guia.


E vamos partir para o Resumão?


Que livro ? As Crônicas de Gelo e Fogo - Livro Três: A Tormenta de Espadas
Quem escreveu ? George R. R. Martin
E sobre o que é ? Neste terceiro volume seguem-se os conflitos em torno do trono de Westeros. O reino dividiu-se e as Casas seguem lutando entre si, cada um na defesa de seu rei. As batalhas não são abordadas, apenas o resultado delas, e através desses relatos se desenrolam as principais cenas que enredam a luta pelo trono: as estratégias, planos e desfechos tomados pelos personagens de maior poder hierárquico. Lembrando que a história se passa num território vasto, com ares medievais, e com personagens reais e místicos: reis, cavaleiros, "mestres feiticeiros", mercenários, cavalos de guerra, dragões, gigantes, lobos gigantes, mamutes, e outros. O livro agora se centra mais nas disputas de poder, as cenas de erotismo perdem terreno neste volume, as cenas de estupro se rareiam e aparecem mais como relatos quando acontecem. O palavreado chulo segue presente mas em menor volume. Neste volume a Muralha e as terras além da muralha passam a ter maior importância, com maior foco dado a vários dos personagens desta região e aparecendo novos personagens importantes ligados ao extremo Norte.  
Fácil de ler ? Os capítulos seguem o mesmo padrão dos outros volumes, com tamanho mediano, o que facilita a leitura. Cada capítulo continua sendo dedicado a determinado personagem, família, clã ou região específica. As histórias vão portanto correndo paralelas, mas neste volume os acontecimentos já não são mais tão simultâneos como no volume anterior. Algumas histórias são nitidamente paralelas, enquanto muitas outras são de caráter consecutivo, tendo um capítulo focado em algum acontecimento em determinada casa, e no próximo capítulo já vemos o desenrolar das consequências daquele acontecimento em outra casa. No volume anterior houve uma grande multiplicação de personagens, dificultando memorizá-los. Neste volume poucos se acrescentam (exceto no extremo Norte, com algumas novidades relevantes), o que torna mais fácil a fixação dos personagens e a associação deles com suas respectivas Casas e que rei defendem.  Sigo sentindo falta de um guia ao final do livro com os personagens listados em ordem alfabética, e não por Casa-Reino, como ocorre. .
Cansativo ou Entusiasmante? Este volume retoma um ritmo mais gostoso, mais dinâmico e menos arrastado do que o volume anterior. O autor revela neste volume que não tem apego a personagens e logo percebemos que essa não é uma historinha de fadinhas e princesas felizes para sempre. Definitivamente nos damos conta de que tudo pode acontecer. O livro passa a ter uma conotação ainda mais instigante e imprevisível.

E a linguagem ? Mantém o padrão: fácil sem ser simplista. Textos medianamente elaborados mas de fácil leitura. Narrativa mais centrada nas ações, emoções e diálogos, pouco descritivo. Prossegue com trechos de falas chulas, palavrões e com forte conotação sexual.
Recomenda ? Muitíssimo. Gosto de surpresas e o autor mostrou que está disposto a surpreender. A história foge do óbvio. Instigante e envolvente. Relembro que os volumes são recheados  de assassinatos, corrupção, incesto, prostituição e estupros. 

E o dvd (série) ?: Ainda não assisti à terceiraa temporada, assim que eu assistir, edito esta parte, ok ? 


E era isso, Bjkinhas de Pimenta. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...