25 de julho de 2014

Batons lindos e baratinhos ... mas ordinários ?

Novas aquisições, que nem novas são. Faz um bom tempinho que comprei, fotografei, mas ainda não havia compartilhado com vocês sobre essa comprinha de batons baratinhos e com cores bem legais.

Cores gracinhas. Baratinhos. Lindinhos. Mas será que valem a pena ? Hmm, venham saber mais sobre eles pra definir se seriam gracinhas bem vindas ou ordinários mal-quistos na vida de vocês.

Eu como boa aficionada por batons não resisti a eles e tenho algumas coisinhas interessantes para compartilhar sobre esse quarteto que veio parar na minha bancada.

Esses foram os batons que comprei: 


O swatch não ficou lá muito bom, mas dá pra ter uma boa idéia das cores. Vou postar duas fotos, já que a debaixo foi sem flash e deu pra ter uma idéia melhor das cores:


Eu gosto muito de cores diferentes e acho que o que realmente valeu a pena foi a compra desse segundo, o Cor 08 da Vult. Ele é um dourado super intenso, puxa pro bronze mas tem um tom dourado bem acentuado. Ele puro, fica um exagero de dourado ! Eu tenho usado ele combinado com outros batons cor nude, marronzinhos ou que puxem pro bronze, pra dar um acabamento mais festa. Funciona pra caramba ! 

E vale a pena comprar esses batons ? Nem todos. Os da vult e da dailus eu até recomendo. Tem cores lindas, tem uma qualidade razoável mas a fixação é fraca. Mas pra um batom dia-a-dia, pra um passeio rápido, acho que estão valendo.

Já o Marchetti eu não gostei, tanto que quase não uso ele. A textura é ruim, o gosto não é ruim, mas é estranho. Você passa a língua e sente o batom, como se fosse uma camada de creme sem gosto na boca, não sei explicar. Enfim, a textura é expressiva demais, deveria "sumir" mais na boca. A cor ficar, a textura sumir. Mas no final das contas é o contrário que acontece.


Ponto desfavorável pras 3 marcas: as embalagens são frágeis e as tampas saem com muita facilidade, de forma que não nada práticos para carregar em necessaire. Afinal, não é nada bacana você abrir sua necessaire e dar de cara com seu batom com a "bala" toda detonada e com partículas dela espalhadas por tudo. Mas isso acontece principalmente com o Marchetti, é a embalagem que mais facilmente se abre por conta. Abaixo é possível ver a tampa simples que protege as balas. Aí estão novinhas, mas no manuseio logo ficam "feias", riscadas e uma delas até mesmo apresentou um "trinco" no plástico. 



O ponto mais bacana é o preço, que é super acessível. Todos eles são batons baratinhos, com valores que não diferem tanto uns dos outros. Então quando a gente topa com alguma cor especial, acho que vale a pena comprar, no caso dos Dailus e Vult. Batom Marchetti, por hora, não pretendo comprar novamente. Não gostei, e com tantas opções no mercado, só vou me arriscar novamente em um deles se me deparar com alguma cor muito fenomenal. 

Se vocês repararem nesse zoom, vão observar que o Dailus tem uma consistência bastante cremosa (não me agrada muito) mas a cobertura é boa e uniforme. Os vult são um meio-termo na textura, mas aderem bem e ficam bem homogêneos também. Já o Marchetti, observem que "desastre". A textura marcada e com falhas. 


Outro ponto que acho desagradável é Vult e Marchetti utilizarem apenas códigos para dar nomes aos seus batons. Com o tanto de nomes interessantes que poderiam usar, de forma criativa, divertida, enfim ... escolheram por usar apenas códigos. Acho muito mais difícil de guardar. Um batom cuja cor nos marca de forma especial é muito mais fácil de ser lembrado por um nome ao qual podemos associar aquela cor. 

Então é isso. Botando tudo na balança, curti a compra dos batons Vult e Dailus, e compraria novamente. Meu preferido foi com certeza o Vult número 08. Cor linda e bem diferente. Aprovei !

E hoje era isso. Beijinhos de Pimenta !

23 de julho de 2014

Serum Anti-Frizz Nativa Spa

Hoje tenho uma dica valiosa pra quem sofre com o frizz no cabelo: o serum do Boticário da linha Nativa Spa. 

Meus cabelos não são crespos. Eles embora "lisos", não são chapados, é aquele liso sem forma. Mas na raiz dos cabelos, teimam em se pronunciar pequenas mechas que parecem gavinhas de uva, de tão enrroladas. Eu já tinha tendência a fazer frizz em tempos chuvosos, mas agora as gavinhas estão mais abundantes. Embora já havia feito tintura no passado, foi após minha última experiência de pintar cabelo e fazer uso de chapinha (que antigamente eu não usava) que o frizz piorou. E mesmo com o cabelo novamente virgem e praticamente nunca usar chapinha ou secador, o frizz nunca mais foi embora.

Sou meio preguiçosa pra cuidar dos cabelos mas a esse produtinho não resisti. Descobri esse serum super útil para dar uma "tapeada" no frizz. Como eu ainda uso ele pouco frequentemente, não observei resultado como tratamento. Mas no que concerne ao controle imediato do frizz, é ótimo. Com o uso mais continuado, volto a falar dele e e conto sobre benefícios na restauração dos fios.

A embalagem é prática para carregar e o pump de fácil manuseio. Basta uma esguichada do creme nas mãos e espalhar ele do meio para as pontas dos cabelos. O cheirinho é bem gostoso, mas não sutil, de forma que "briga" um pouco com perfume. Esse é o único porem que não gostei, preferia que não tivesse cheiro. Mas é da linha de ameixa da Nativa Spa, que é dos meus preferidos ! O cheirinho é bem gostoso.

Ele é fácil de espalhar e mantém o cabelo assentadinho por um período razoável de tempo. Não é recomendável passar muito, para não dar aspecto de umidade no cabelo. Eu não uso com muita frequência e meu cabelo é bem ralo e mesmo assim acho que o rendimento é apenas mediano. Pra quem tem cabelão e usar com frequência, imagino que não vai curtir muito o rendimento dele. Já o precinho é acessível.

 Mas curti, vale a pena e compraria novamente o produto. Recomendo !


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...