19 de março de 2013

Sopa de Letrinhas: 50 Tons de Cinza (e mais Escuros)

Já faz bem mais de mês que findei a leitura do "50 Tons de cinza" e tentei ler o "50 Tons mais escuros" e até agora não tinha registrado minhas conclusões. Isso porque a leitura é tão decepcionante que nem dá vontade de escrever sobre.

Sabia que o livro tratava (de certo modo) de sadomasoquismo, mas nunca imaginei que na verdade a tortura que prevalece é a própria leitura do livro. Ler "50 Tons de Cinza" já exige bastante, ler os "50 Tons mais Escuros" me pareceu tarefa pra submissas muito bem treinadas em leitura pobre ... um pior que o outro.

A história é amadora, os personagens fracos de espírito ou atitude, o texto arrastado e adolescente. Depois as pessoas vem falar de Crepúsculo !!! Afhh, pois esse livro é uma versão de Crepúsculo muito piorada e com um chicote na mão. Os devaneios de adolescente da personagem principal, sonhando com um príncipe encantado são de enjoar. Aliás, e ele não fica atrás não. Os dois personagens se mostram como fracos e inseguros.

Eu realmente não tenho muito o que falar. Em relação ao quesito do fetiche, o texto deve dar arrepios nos SM's de verdade, visto que a relação é mais baunilha que qualquer coisa. Não existe nenhuma inovação como literatura erótica, de forma que o sucesso do livro é incompreensível.

Eu não cheguei a ler o "50 Tons mais escuros" inteiro, iniciei, tentei, tentei ler ... mas foi impossível. Pulei partes e mais partes, buscando apenas pelas revelações referentes à mãe biológica do Christian Grey, que foi o único ponto do livro que me deixou intrigada a querer saber qual era o fundo de verdade sobre essa relação. Mas não há nada no livro que salve o segundo volume. Me neguei a sequer ler o primeiro parágrafo do terceiro.

Logo, não recomendo nem como forma de tortura !!!

18 de março de 2013

Box Tour: Hidratantes Corporais de Banho

Não tenho um apego especial por alguma marca específica de hidratante, porisso vou experimentando e usando de tudo um pouco: dos baratinhos às marcas mais tradicionais, dos em creme, em pasta, em óleo. Dos sem cheiro, ou arominha básico de algodão às fragrâncias exóticas. Mas estou absolutamente encantada com os hidratantes de banho que conheci mais "recentemente".

No meu box, estou com dois hidratantes de banho em uso. Uso um ou outro, dependendo da preferência do momento, do clima e da paciência. São eles:

  • Hidratante de Banho Todo Dia da Natura de Frutas Vermelhas
Eu sou suspeita pra falar, pois sou fascinada pela linha Todo Dia. Amooooo !! Adoro os hidratantes corporais, e esse de banho me conquistou completamente. A consistência é maravilhosa, deixa a pele super macia e o cheirinho é o que há de bom !!! Delícia ! 
Prefiro passar ele quando estou com mais tempo, pois ele é tão gostoso na pele que vale a pena gastar um tempinho pra espalhar bem e curtir bem ele na pele, até porque dá aquela impregnada maior no cheirinho. É também minha opção pros dias mais quentes, pra dar aquele frescor.

  • Óleo Hidratante de Banho Nativa Spa do Boticário de Ameixa
Esse óleo é bem gostoso também. Ele não tem uma consistência "pegajosa". Tanto que é pra ser passado e depois dar uma enxaguadinha geral no corpo por cima, e se você caprichar demais na enxaguada corre o risco de retirar boa parte do que passou. Eu gosto de usar ele nos dias mais frescos ou frios, pois dá uma sensação de achonchego maior. Fora que não há necessidade de ficar massageando ele, é passar e deu, bora enxaguar. Ele é muito bom pra que não gosta daquela sensação de umidade que os hidratantes em creme geralmente deixam. Eu só não gosto muito da tampa dele, não é prática pro banho (e já que é um óleo de banho, convenhamos que praticidade é fundamental).


Hmm, sabe que se eu for eleger o meu preferido, é o primeiro, em creme. Mas fui eu espiar eles no banheiro, e pra minha surpresa não é que notei que usei muito mais o em óleo !! E olha que eu já estou com um segundo dele engatilhado na bancada pra quando acabar este. 


E a foto não engana hein, olha só o em óleo já bem na finaleira, o outro ainda na metade. Claro que tem o fato que não lembro qual abri primeiro. E também acho que é porque no inverno eu acabei usando bem mais hidratante de banho do que de bancada, e como disse antes, no inverno minha opção maior nesse caso é pelo hidratante em óleo. Tanto pela agilidade em passar, como pela sensação também. Já no verão eu acabo usando bastante hidrante fora do banho também, que aliás, é assunto pra um outro post: os hidrantes de bancada.

Sei que não recuso ter novamente os dois no box, mas se fosse eleger apenas um, seria o em creme mesmo, da Natura. Tanto pela consistência como pelo aroma. Mas ambos são ótimos.

Bjkinhas de Pimenta !
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...