11 de dezembro de 2012

Sopa de Letrinhas: Pulmão de Aço

Esse livro eu comprei totalmente no escuro: sabia apenas o teor da história mas não tinha ainda ouvido falar nada específico sobre se era bacana ou não. Nem precisava mesmo de crítica, pois não tinha dúvidas que uma história de vida dessas não poderia deixar de ser uma leitura e tanto.

Pulmão de Aço é um relato auto-biográfico e conta a trajetória de uma menina que é internada ainda muito criança (algo em torno de 2 anos) no Hospital de Clínicas de São Paulo e lá vive até hoje. Vítima de poliomielite ainda na tenra idade, Eliana perdeu os movimentos musculares, inclusive da musculatura respiratória, passando a precisar de uma máquina pra poder respirar. Naquela época a máquina usada era o Pulmão de Aço, uma espécie de caixa onde a pessoa fica deitada, com o corpo todo dentro da caixa e só com a cabeça pra fora. Porisso o nome do livro. São 37 anos vivendo em um hospital, dependente da ventilação mecânica e sem movimentos do pescoço pra baixo. Uma criança vítima como tantas outras da epidemia de poliomielite que se abateu sobre nosso país naquela década de 70-80.

Confesso que é uma leitura interessante mas angustiante. Você mergulha no universo da criança que ela foi, convivendo num hospital com a doença, a morte e a pior inimiga de todas: a solidão. Mesmo cercada de outras crianças também internadas, de uma equipe médica e de enfermagem, dos voluntários que faziam visitas rotineiras, religiosos ... era uma vida extremamente solitária. Não apenas pra ela, mas pra muitas outras crianças em situação similar à dela. Os relatos de abandono familiar são tão feios e dolorosos, até mesmo pra ler. E esses sentimentos de abandono e solidão são passagens frequentes no livro. Tanto como criança, como jovem, como mulher. No decorrer da leitura você vai acompanhando o seu crescimento, o desenvolvimento, as divagações e dilemas típicos da adolescência ... também a fase de se dar conta da vida que existe fora do hospital e da qual ela provalmente nunca faria parte: é impactante. Ao longo do livro nos damos conta do quanto ela tem uma história de vitória sobre a morte e de muitas conquistas ao longo dos anos .... ainda assim, uma vida difícil.

O livro é repleto de fotos da sua trajetória, desde a infância, seus amiguinhos de quarto, e de seu colega Paulo, que também vítima da poliomielite, vive lá até hoje. São os dois últimos sobreviventes dentre tantas crianças que foram internadas na época e tiveram no hospital sua nova morada.

É possível encontrar o perfil do facebook dela e do Paulo também. Me chamou muito a atenção como tanto nas fotos do livro como no facebook, o sorriso dela é uma marca registrada. São centenas de fotos mas o sorriso não deixa nunca sua face. Acho que de alguma forma, apesar de todo sofrimento, isso demonstra que há sim uma força imensa dentro dela que foi capaz de impulsioná-la pra frente, pra encarar a vida com todos os seus desafios e lutar pela felicidade mesmo diante de tantas limitações. 

Recomendo a leitura.

Qual livro ? Pulmão de Aço: Uma Vida no Maior Hospital do Brasil
Quem escreveu ? Eliana Zagui
Do que se trata ? Autobiográfico, a autora relata sua trajetória de vida dentro do Instituto de Ortopedia do Hospital de Clínicas de SP, onde vive há 37 anos.Vítima de poliomielite ainda na infância, Eliana cresceu dentro de uma uti. Cercada pelo ambiente hospitalar, a equipe do hospital foi sua família, seus colegas de quarto seus irmãos. No livro retrata a descoberta do mundo, do amor, da amizade entre as paredes de um hospital.
E a linguagem ? Fácil, todo narrativo, texto fluido e acessível. Capítulos curtos. Aborda algumas questões médicas e explicações sobre doenças e tratamento de forma bem sucinta, o suficiente apenas pra entender o desenrolar da história. Várias fotos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...