8 de novembro de 2012

Sopa de Letrinhas: Eclipse

Atenção: Spoiler sobre Crepúsculo e Lua Nova ! Não leia este post caso não tenha lido estes livros ainda. A menos que não se importe em saber alguns fatos de antemão. NÃO há Spoilers sobre Eclipse nesta postagem, apenas impressões sobre o livro.

Terminei a leitura de Eclipse e já estou pensando com meus botões até quando me seguro pra comprar o "Amanhecer". (comprado !)

Fiquei triste que não consegui comprar uma edição que fosse o da fita vermelha na frente, para fechar meu conjuntinho. Acabei comprando um com a Bella e a imagem de Edward refletida no olhar.


Breve Retrospectiva :
É adorável a construção de toda a história. Como eu já disse em outro post, Crepúsculo enfatiza o amor adolescente, também os abismos entre as personagens principais e descobrimos a fundo a personalidades de boa parte dos envolvidos. Desvendam-se os poderes de cada um dos Cullen. A personalidade de Bella é escancarada em Crepúsculo, o que é fundamental para entender as emoções-interpretações-ações-reações que ela terá no futuro. Em Lua Nova, mergulhamos na história dos Cullen e dos próprios vampiros: é possível entender mais sobre como funciona a relação deles e em especial acerca de uma hierarquia na espécie. Também se aprofundam os conhecimentos sobre alguns dos poderes deles (Edward e Alice). Surpreendemente, entram os lobisomens na história e com alguma dificuldade vou aceitando essa entrada e seus poderes e importância. Não consigo sentir por eles nem um décimo da empatia que Bella sente. Compreendo a afeição, amizade e até mesmo dependência por Jacob. Mas sinceramente, não entendo realmente essa queda dela pela companhia de lobisomens. Esta é a grande diferença: Jacob se mostra como metade "menino meigo", metade "monstro". Edward é Edward e ponto final. Sempre protetor, sempre adorável, ainda que sempre vampiro também. Porisso eu entendo os sentimentos dela por Jacob mas não pela outra "entidade" dele. Essa outra entidade inclusive o domina em momentos que ele deveria ser apenas Jacob, o "menino" meigo e risonho. Tudo isso colabora para minha resistência em relação ao Jacob.

Bueno, mas em relação a Eclipse especificamente, eu senti algumas oscilações na euforia pela história. Achei que a Stephenie Meyer subestimou seus leitores neste volume, no quesito imaginação. Digo isso, pois existem suspenses na cabeça das personagens, que se extendem até demasiadamente, mas me pareceram muito óbvios. Mas como eu disse, são  oscilações ... isso porque uma diversidade de acontecimentos surpreendem. Mas eu não poderia deixar de citar, visto que os suspenses óbvios têm peso importante na história. Ainda não assisti o filme Eclipse, mas imagino que na película isso não transpareça, visto que diante de uma trama tão dinâmica, não haveria tempo para se prolongar demais acerca destes pontos.
No volume anterior, as cenas de ação e tensão estiveram tão presentes quanto a imensa carga emocional trazida pelo sofrimento de Bella. Lua Nova está nitidamente dividido entre o coração quebrado, seguido de vários capítulos de sofrimento arrastado, depois a reconstrução dela que já começa a ser permeada pelas primeiras cenas de tensão (mudanças em Jacob) pra por fim rumar para os capítulos de pura adrenalina.  Já em Eclipse, a divisão é mais difusa mas também ocorre. Há foco na ação (Seattle: signifcados e consequencias) e há foco no emocional e comportamental (sentimentos de Bella e decisões a serem tomadas). O destaque fica por conta da angústia de Bella, em especial em relação ao futuro dela ao lado de Jacob, Edward e Charlie. 

Também observei alguns esparsos lapsos, relacionados a pequenos acontecimentos que não batiam com revelações prévias sobre o funcionamento dos poderes dos Cullen, em especial em relação à Alice.  Mas nada que afete a trama e nem são coisas tão gritantes. (Quando eu postar sobre Amanhecer, comento sobre isso, senão vou acabar soltando um belo Spoiler sobre Eclipse nessa postagem).

Em Eclipse, são dois os grandes destaques do livro:

  • Um é a costura perfeita entre vampiros e lobisomens. A revelação sobre sua história, o mergulho sobre a origem dos lobisomens e a interessante relação entre eles e entre eles e os vampiros, bem como os desdobramentos que resultaram nessa inimizade tão feroz, são realmente surpreendentes. Achei que realmente a história foi bem costurada.
  • O outro são os conflitos de Bella (que chegam a ser inesperados), que trazem novas perspectivas sobre o rumo da história. Minimamente são pontos interessantes de reflexão, para nós, e que esperaríamos da própria personagem, sobre as possibilidades e consequências intricadas mediante a escolha do caminho que ela pretende traçar.
Dos 3 livros até agora, esse peca um pouco na fluidez da história. Os momentos de risco e tensão estão um pouco encenados demais. No entanto a trama possui acontecimentos tão emblemáticos, que não há como não considerá-lo menos importante. Deve-se considerar a tensão como um pano de fundo. Os dilemas e relações comportamentais entre algumas personagens são suficientes para nos manter atentos, ansiosos, intrigados e acima de tudo nos despontar para realizar nossa própria torcida pelo herói (ou vilão) preferido.




Qual livro ? Eclipse
Quem escreveu ? Stephenie Meyer
Do que se trata ? Terceiro livro da Saga Crepúsculo. Uma humana que vive o dilema entre a vida eterna e cheia de poderes ao lado do seu amado vampiro ou uma vida "normal", com toda sua fragilidade e mortalidade, ao lado da família e seu melhor amigo lobisomen.
E a linguagem ? Fácil, muitos diálogos, pouco descritivo, história dinâmica com muita ação, capítulos relativamente curtos. Ação, suspense. É importante a leitura prévia de Crepúsculo e Lua Nova para entender as relações entre personagens.
Mas recomenda ?  Sim. Se você já chegou até a metade da saga, porque não leria os 2 últimos ? É uma leitura muito gostosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...